Criatividade

Detalhes brilhantemente escondidos em filmes da Disney que fazem todo sentido

Vitor Paiva - 19/04/2021

Os longas-metragens de animação da Disney são verdadeiras oferecem bem mais do que somente sua história principal: cada filme é repleto de detalhes quase secretos como pequenas joias narrativas escondidas, para serem descobertas e celebradas com o tempo. É isso que faz a seção “MovieDetails”, do Reddit, de onde os exemplos aqui selecionados foram tirados: reunir, como o título sugere, “detalhes de filmes” que muitas vezes passaram batidos aos olhares desatentos, mas que trazem sentidos, intenções e explicações novas para cenas, personagens, falas ou simplesmente “easter eggs” que muitas vezes nem sequer reparamos.

O jovem Walt Disney trabalhando em uma animação

O jovem Walt Disney trabalhando em uma animação © Getty Images

-Disney coloca aviso de conteúdo preconceituoso em alguns de seus filmes clássicos

A seleção percorre desde clássicos do passado, como “Pinóquio”, de 1940, “Cinderella”, de 1950, e “Mogli – O Menino Lobo”, de 1967, até animações e filmes da Disney mais recentes, como “Ratatouille”, de 2007, “Lilo & Stitch”, de 2002, e “Os Incríveis”, de 2004 – cada um oferecendo pequenos tesouros velados, agora revelados em matéria original do site Bored Panda.

Aladdin

O trabalho de Robin Williams como dublador é o segredo de “Aladdin”, de 1992 © reprodução

-Primeiro cliente da Disney usa seu bilhete vitalício todos os anos desde 1955

O campeão de “detalhes” secretos deliciosos é provavelmente o desenho “Aladdin”, de 1992, especialmente pela genial atuação de Robin Williams como a voz por trás do gênio no filme – que elevou o personagem e tornou a animação ainda mais especial.

-Por trás das mortes de mães em filmes da Disney existe uma história real e trágica

No final de “Aladdin”, o gênio aparece vestindo uma camisa florida no estilo havaiano e um boné do Pateta. O figurino é uma homenagem ao curta-metragem “De Volta a Neverland”, filmado por Robin nos estúdios da Disney/MGM em 1989.

Robin Williams e o gênio

Robin mudou o personagem do gênio para sempre

Em “Os Incríveis”, de 2004, Frank Thomas e Ollie Johnston, dois lendários animadores da Disney, fazem uma “aparição” ou “cameo” em versão animada – os dois trabalharam em clássicos absolutos do estúdio, incluindo o primeiro longa em desenho animado da Disney, “Branca de Neve e os Sete Anões”, de 1937.

Os dois grandes animadores são homenageados no filme

Os dois grandes animadores são homenageados no filme

Em outro trecho de “Aladdin”, o gênio canta que “Ali Babá tinha 40 ladrões, e Scheherazade tinha 1000 histórias” – acontece que na lenda eram 1001 as histórias de Scheherazade para 1001 noites, mas uma delas é do próprio Aladdin.

Aladdin e o gênio

Esse detalhe se dá por uma questão de lógica

Todos os fundos das cenas de “Lilo & Stitch”, de 2002, foram feito em aquarela. A motivação original para tal escolha estética foi orçamentária, mas o resultado trouxe mais beleza e charme ao filme. Antes, somente “Dumbo”, de 1941, e “Branca de Neve” utilizaram aquarelas.

Lilo & Stitch

Os fundos combinam com o ambiente da animação

Ao fim de “Frozen”, de 2010, uma declaração diz: “a opinião expressada por Kristoff no filme de que ‘todos os homens comem as próprias melecas’ é somente a sua opinião e não necessariamente reflete a visão ou opinião da empresa Walt Disney ou dos realizadores do filme”.

Legenda ao fim de Frozen

A legenda brinca com comunicados sobre polêmicas eventuais em filmes

O gênio em “Aladdin” – sempre ele – escreve na animação da esquerda pra direita, que é a forma que se escreve em árabe.

O gênio de Aladdin escrevendo

Tal detalhe respeita a origem da própria lenda de Aladdin

Essa é mais uma coincidência e uma curiosidade do que um “detalhe”, mas a dubladora Verna Felton foi responsável por dar voz às personagens da Fada Madrinha em “Cinderela”, de 1950 e da Rainha no original de “Alice no País das Maravilhas”, de 1951 – essas duas personagens foram vividas pela mesma atriz em seus remakes modernos: Helena Bonham Carter para o “Alice” de 2010 e o “Cinderela” de 2015.

Alice e Cinderela; Verna Felton e Helena Bonham Carter

As mesmas personagens, divididas pela dubladora e pela atriz, com 50 anos de diferença

Em “Walt nos Bastidores de Mary Poppins”, de 2013, é possível ver as estatuetas especiais do Oscar que Walt Disney de fato ganhou como prêmio honorário por “Branca de Neve e os Sete Anões” – uma em tamanho normal, e sete miniaturas.

Oscars de Disney

Quem entregou o Oscar especial para Walt Disney foi a atriz mirim Shirley Temple

Os abutres de “Mogli, o Menino Lobo”, de 1967, originalmente foram pensados para serem dublados por ninguém menos que os Beatles, mas a ideia acabou vetada. Os cabelos longos, o sotaque e o humor, no entanto, foram mantidos.

Os abutres de Mogli

Reza a lenda que John Lennon teria vetado a participação

Na abertura de “Pinóquio”, de 1940, quando o livro é selecionado na prateleira para que a história se inicia, é possível ver ao lado outros dois livros que se tornariam filmes da Disney: “Alice no País das Maravilhas” e “Peter Pan”.

Abertura de Pinóquio

“Alice” seria lançado em 1951, e “Peter Pan” em 1953

Mais detalhes em filmes diversos podem ser vistos na matéria e no Reddit.

Publicidade

© fotos: Bored Panda/reprodução/créditos


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, doutorando em literatura pela PUC-Rio, publica artigos, ensaios e reportagens. É autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.


Warning: file_put_contents(/var/www/html/wordpress/wp-content/themes/hypeness-new/functions/cache/twitter-stream-hypeness.txt): failed to open stream: Permission denied in /var/www/html/wordpress/wp-content/themes/hypeness-new/functions/social.php on line 410


X
Próxima notícia Hypeness:
McDonald’s tem loja única com arcos pintados de azul