Debate

Flávia Viana e influencers receberam R$ 23 mil do governo para promover tratamento precoce

por: Redação Hypeness

Uma reportagem da Agência Pública revelou que o Ministério da Saúde pagou influenciadores digitais como Flávia Viana, João Zoli e Jessika Taynara para participar de uma campanha que divulgava ‘cuidados precoces’ contra o novo coronavírus.

Segundo a apuração da agência de jornalismo investigativo, cada influenciador recebeu R$ 23 mil do nosso dinheiro para incentivar a política do Ministério da Saúde que incentivou o uso de remédios ineficazes para tratar a covid-19.

– ‘Tratamento precoce’ causa morte de 3 e leva outros pacientes para fila de transplante

Influenciadores digitais receberam dinheiro do Ministério da Saúde em campanha que espalhou mentiras do governo federal

Flávia diz que vai doar dinheiro 

Em janeiro, os influenciadores fizeram postagens incentivando pessoas que testaram positivo para covid-19 que busquem seus médicos e solicitem por ‘atendimento precoce’. Vale lembrar que o Ministério da Saúde desenvolveu o sistema TrateCOV, que indicava a médicos ministrarem hidroxicloroquina, azitromicina e ivermectina para todos os pacientes de covid-19.

– Cloroquina e patinetes? Pesquisadores enviam estudo falso e desmascaram revista ‘científica’ 

Os influenciadores receberam dinheiro do governo Bolsonaro através da campanha ‘Cuidados Precoce COVID-19’, um projeto de comunicação do Ministério da Saúde que torrou dinheiro público para incentivar o uso de remédios ineficazes contra o novo coronavírus.

Flávia Viana recebeu dinheiro para falar de ‘tratamento precoce’, não recomendado por médicos sérios

Flávia Vianna, ex-BBB, afirmou que se arrepende do caso e que vai doar o dinheiro que recebeu na campanha. Chorou, desabafou, e afirmou que não se mete políticas. Mas se meteu. “Não me meto com político, acho que o que os governantes fazem com a gente é fazer todo mundo de palhaço, eu tenho nojo de falar de quem governa do nosso país. Não me interpretem mal, minha intenção foi de alertar e de cuidar”, afirmou Flávia em seu Instagram.

– Coronavírus: cientistas relatam ameaças de morte em disputa política da cloroquina 

“Minha intenção ao fazer o trabalho foi única e exclusivamente ajudar. Intenção de cuidado com as pessoas que me assistem. Não acredito em tratamento precoce dessa doença tão louca que está espalhada por aí”, disse ela, que recebeu por um publicação feita no dia 14 de janeiro, onde recomendou a solicitação do ‘atendimento precoce‘.

– Coronavírus: como moda da cloroquina atrapalha busca por outros tratamentos 

Os outros influenciadores também confirmaram o recebimento do dinheiro. Flávia afirma que recebeu R$ 11,5 mil do governo federal. Os termos ‘atendimento precoce’ e ‘tratamento precoce’ foram amplamente divulgados pela gestão Bolsonaro e não trouxeram nenhum benefício para o país que tem mais de 300 mil mortes pela covid-19.

“O tratamento precoce comprovadamente aumenta as chances de recuperação e diminui a ocorrência de casos mais graves e, consequentemente, o número de internações. A nova diretriz busca adequar o atendimento às melhores evidências médicas e evitar as mortes relacionadas à doença”, afirma o site do Ministério da Saúde. É mentira. Não há evidências médicas e científicas de que exista algum tipo de tratamento precoce contra o novo coronavírus.

Publicidade

Fotos: Reprodução/Instagram


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.


X
Próxima notícia Hypeness:
Rafa Kalimann responde com inspiração seguidor que criticou seu corpo