Inovação

Homem-manga: o horticultor indiano que produz 300 tipos de manga em uma só árvore

Vitor Paiva - 22/04/2021

O horticultor indiano Haji Kalimullah Khan não é conhecido mundialmente como “Homem-manga” por acaso: trabalhando como produtor de frutas desde os 15 anos – especialmente, é claro, no cultivo de diversos tipos de manga –, Khan se tornou um dos maiores e mais especializados nomes do mundo em seu ramo. Seu maior feito, no entanto, está em uma árvore específica: uma mangueira centenária, capaz de produzir sozinha 300 variedades da fruta. Sim, enquanto o mundo se acostumou a consumir somente dois ou três tipos de manga, a árvore do horticultor indiano desde 1987 produz 300 tipos ao longo do ano.

O "homem-manga" Khan

O “homem-manga” Khan diante de sua árvore de 300 mangas © Pankaj Singh/Facebook/Reprodução

-Indiano transforma terra árida em pomar com mais de 10 mil árvores

Quando começou como fazendeiro em Malihabad, cidade no distrito de Uttar Pradesh, ao norte da Índia, Khan também produzia somente dois tipos de manga. A região é conhecida como “capital da manga” no país que é o maior produtor da fruta no mundo, e produz centenas e centenas de variedades, mas a grande epifania veio quando o horticultor, ainda adolescente, viu uma única roseira produzindo flores de diferentes cores. Assim ele começou a aprender sobre cruzamento de espécies, e decidiu aplicar a técnica de enxerto, unindo tecidos de plantas diferentes, à produção de mangas: assim nasceu sua árvore milagrosa.

Mangueira do "homem-manga" indiano

A árvore foi feita em técnica de mistura de diferentes mudas © reprodução/Youtube

O "homem-manga" indiano

Khan cuida da manga desde 1987 © RAJ K RAJ/HINDUSTAN TIMES

-Ele passou 30 anos cavando sozinho um canal para irrigar sua aldeia

Batizada como “A Resoluta”, a mangueira foi produzida a partir de diversos enxertos, e se tornou uma espécie de pomar inteiro em um único exemplar de árvore. Durante o verão indiano, entre março e junho, a árvore se estampa em cores variadas, entre verde, vermelho, roxo, amarelo e rosa, e as formas acompanham as tonalidades, entre frutos redondos, ovais, pequenos e grandes: até o primeiro-ministro indiano, Narendra Modi, foi homenageado com uma variante vermelha especialmente desenvolvida, em um híbrido entre as mangas do tipo Husn-e-Aara de Kolkata e Dussehri de Lucknow. Outra variedade foi criada em tributo às vítimas da Covid-19.

Mangas do "homem-manga" indiano

Alguns dos diferentes tipos de manga produzidos pela mesma árvore © arquivo pessoal

-Morre o ‘homem árvore’ e fica o seu legado de mais de 5 milhões de árvores plantadas

A grande preocupação de Khan atualmente é passar a técnica em frente, ensinando a seus filhos e aprendizes – “A Resoluta” foi incluída no Limca, o livro dos recordes indiano, e a produção de mangas da fazenda de Haji é parcialmente vendida, mas boa parte das frutas é doada para moradores da região.

Documentário publicado no YouTube sobre o “Homem-manga”

Nem tudo, porém, são flores – ou frutas: o fazendeiro é alvo também de críticas por parte da Associação de Produtores de Manga do país, que muitas vezes vê a técnica como cosmética ou como uma criação artística, sem benefício para o cultivo ou valor comercial. Khan, é claro, não concorda, e vê em sua produção justamente uma junção: uma arte com valores práticos e efetivos quanto um fruto pendurado em um galho.

O "homem-manga" indiano

Khan recebeu diversos prêmios oficiais do governo indiano © reprodução/Youtube

Publicidade

© fotos: créditos


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, Vitor Paiva é doutor em Literatura, Cultura e Contemporaneidade pela PUC-Rio. Autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores, publica artigos, ensaios e reportagens.