Ciência

Super iate futurista será um laboratório tecnológico e luxuoso viajando pelos mares

Vitor Paiva - 22/04/2021 | Atualizada em - 27/04/2021

O Earth 300 é um luxuoso e gigantesco iate equipado com tudo que pode haver de mais moderno e tecnológico. No lugar de navegar com bilionários como se poderia esperar desse tipo de navio, no entanto, a embarcação irá receber alguns dos maiores cientistas do mundo, assim como estudantes e especialistas em colaboração com a comunidade científica. Com 300 metros de comprimento, 60 metros de altura e equipado com 22 laboratórios de ponta e com capacidade de tripular até 425 pessoas, o iate funcionará como uma plataforma para pesquisa, compartilhamento e desenvolvimento de conhecimento entre pares, assim como espaço de exploração para interessados e curiosos.

Earth 300

O Earth 300 será o mais moderno laboratório marítimo já feito

-E se mulheres cientistas fossem tratadas como celebridades?

Pois o super iate será o mais moderno laboratório sobre as águas já construído, mas também receberá um pequeno número de turistas, a serem acomodados em dez residências luxuosos a bordo, a um custo de US$ 3 milhões de dólares por 10 dias de viagem. O propósito de receber turistas em tão alto custo, porém, é mais do que nobre: os valores serão utilizados para ajudar a financiar parte do projeto, liderado pelo empreendedor Aaron Oliveira e desenhado pelo especialista em iates Ivan Sallas Jefferson, de custo estimado entre US$ 500 milhões e US$ 700 milhões de dólares.

Earth 300

A imensa redoma de vidro será um laboratório de 13 andares

Earth 300

O desenho do navio é de Ivan Sallas Jefferson

-Bill Gates não comprou primeiro iate movido a hidrogênio do mundo – e o barco ainda é só um projeto

Segundo matéria no site Mint Lounge, o lançamento da Earth 300 às águas está agendado para 2025, e incluirá um deck suspenso para observação e uma “esfera científica”: uma imensa circunferência de vidro com 13 andares, projetada para “inspirar quem olhar a salvar o planeta”, diz Oliveira. Tal propósito não é meramente simbólico, já que, para além do desenho minimalista e futurista do iate, o Earth 300 será movido por um reator nuclear de emissão zero de gases de carbono utilizando a tecnologia MSR, ou de um reator de sal fundido, responsável por uma grande parte do custo de feitura do navio.

Earth 300

O observatório suspenso também é desenhado para o encontro científico

Earth 300

Os cientistas viajarão de graça, mas os turistas pagarão 3 milhões de dólares por 10 dias

Earth 300

o alto custo das passagens será para cobrir o investimento no navio

-Movido a energia eólica, solar e hidrogênio, este barco vai dar a volta ao mundo

O iate será o primeiro a usar o reator a sal fundido como fonte de energia, mas estima-se que o certificado para uso de tal tecnologia irá atrasar entre 5 a 7 anos – enquanto isso, o navio funcionará movimento a biocombustível sintético. Segundo Oliveira, o navio viajará 300 dias por ano, e irá gerar estimados US$ 100 milhões de dólares anuais – entre passagens de turistas e aluguel para eventos e filmagens. As primeiras viagens serão uma circunavegação pela Antártica, seguida de uma viagem ao Ártico. “O futuro da humanidade está em projetos ambiciosos como esse”, afirmou Oliveira.

Earth 300

A construção custará entre 500 e 700 milhões de dólares

Earth 300

Boa parte do custo está no reator – que funcionará movido a sal para alimentar o navio

Publicidade

© fotos: divulgação


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, doutorando em literatura pela PUC-Rio, publica artigos, ensaios e reportagens. É autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.


Warning: file_put_contents(/var/www/html/wordpress/wp-content/themes/hypeness-new/functions/cache/twitter-stream-hypeness.txt): failed to open stream: Permission denied in /var/www/html/wordpress/wp-content/themes/hypeness-new/functions/social.php on line 410


X
Próxima notícia Hypeness:
Checar o celular tem efeito tão contagioso quanto bocejo, diz pesquisa