Sustentabilidade

‘Amazônia em chamas’: doc põe navalha na carne, principal causadora do desmatamento no Brasil

Redação Hypeness - 13/05/2021

Quem é o principal vilão por trás do desmatamento da floresta amazônica?Amazônia em Chamas’, documentário disponível no Telecine, se propõe a responder essa questão e vai direto ao ponto: é a carne que está todos os dias no prato de toda a humanidade.

– Relatório da ONU reafirma que consumo de carne ajuda no aquecimento global

Desmatamento causado pelo agronegócio é a força motriz do aquecimento global e responsabilidade é de governos e grandes empresas

O longa jornalístico com produção executiva (e ótimo trilha sonora) de Moby, DJ estadunidense, não mede palavras para questionar todo o ciclo produtivo da carne, seus impactos na nossa saúde, na nossa economia e, especialmente, no futuro do nosso planeta.

Com a participação de médicos, ativistas pelo meio ambiente, políticos e representantes das comunidades indígenas, o documentário dirigido por Michal Siewierski acerta na mosca para falar do principal responsável pela destruição de nosso ecossistema principal: o agronegócio. 

– Amazônia com terras protegidas para venda no Facebook e 7 agrotóxicos super tóxicos para humanos aprovados

As queimadas na Amazônia não são resultado de puro sadismo ou de vilões de histórias em quadrinho que desejam apenas destruir o mundo: elas alimentam duas das bases principais da economia brasileira e, consequentemente, dois dos maiores problemas ambientais que precisamos resolver no país: a soja e a carne.

Dos lares da China até as redes de fast food dos EUA, há boi, porco ou frango brasileiro. Mas o custo de sua produção vai bem além do que consumimos. Isso porque para produzir a carne, precisamos produzir soja. Engana-se você que pensa que o principal produto final da soja plantada no nosso país é o óleo que você usa para fritar seu bife. As plantações gigantes desse vegetal servem para alimentar os bilhões de animais criados para abate ao redor do mundo.

Waiduipi Sipre, representante indígena xavante, denunciou violações aos povos originários em “Amazônia em Chamas”

“Amazônia em chamas” se compromete a mostrar os impactos dessas duas produções. O documentário analisa de forma profunda as consequências que os mercados carne-soja causam na nossa vida: desde os impactos na saúde, como o já conhecido aumento da incidência de câncer associado ao consumo da carne vermelha, até os impactos mais amplos disso para a economia de toda a América do Sul: 70% do PIB continental depende da conservação da Amazônia (incluindo a própria agropecuária).

– Fumaça de queimadas gerou quase R$ 1 bi de gastos com internações para estados amazônicos

O consumo de carne alimentado pela indústria agro ainda tem outros efeitos. Pode ser a força motriz para o surgimento de novas pandemias originadas de vírus e bactérias oriundas da própria Amazônia que não tiveram o contato necessário com humanos. (Imagino que ninguém queira um repeteco de 2020, né?). 

Além disso, o documentário aponta para dois problemas concomitantes: os pesticidas e a questão hídrica. O trabalho incessante dos latifundiários em promover a legalização de pesticidas acaba destruindo lençóis freáticos, algo que contamina nossa água e comida. Por outro lado, o desmatamento diminui a retenção de água na Amazônia, o que desabastece os sistemas hídricos da própria floresta e das cidades do Centro-Sul brasileiro. Em última instância, o modelo de negócio instaurado para destruir a Amazônia é a própria cova do agronegócio.

É claro que todo esse processo acaba sendo profundamente ampliado pela vontade de governos no Brasil e no exterior: a ampla concessão de benefícios fiscais e crédito facilitado pelos políticos impulsiona o barateamento e o subsequente consumo de carne, além de prejudicar a agricultura familiar e os povos originários.

– Maioria das espécies que ainda serão descobertas estão em florestas como Amazônia; Brasil lidera ranking 

E é na política onde vemos o maior cerco de proteção aos pecuaristas, já que o Brasil é o país que mais mata ativistas ambientais no mundo. É na linha de frente da luta contra o avanço dos ruralistas que a violência acontece, e são os povos originários e os pequenos agricultores que saem sem vida desse conflito. A indústria da carne é um moedor de gente.

Luisa Mell, famosa ativista vegana, denunciou o fortalecimento mútuo entre governos e o agronegócio para manutenção de sistema que destrói a nossa vida e o planeta como um todo

A mudança de panorama passa por duas fases: a responsabilização das empresas estrangeiras e brasileiras nesse processo e a mudança dos representantes que defendem incessantemente os interesses desses mercados bilionários.

Com a participação de João Gordo, Xuxa Meneghel e Luisa Mell, além de médicos e cientistas brasileiros, o panorama feito pelo documentário é amplo. “Takeout” é o nome em inglês do longa, cuja tradução seria “para viagem” ou “a retirar”. E não é coincidência que os mais notórios brasileiros que participam da obra sejam veganos: para eles, é no consumo da carne que está a raiz do iminente apocalipse ambiental incendiário que acontece no nosso país.

Confira o trailer do longa:

Amazônia em Chamas” é dirigido por Michal Siewierski (Food Choices e Diet Fiction) e, de forma sucinta e completa, mostra os problemas e as soluções para o mercado disfuncional e incendiário da carne no Brasil e, apesar de tudo, é bom de ver. A obra está disponível no Telecine

Publicidade

Fotos: Reprodução/Telecine


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Warning: file_put_contents(/var/www/html/wordpress/wp-content/themes/hypeness-new/functions/cache/twitter-stream-hypeness.txt): failed to open stream: Permission denied in /var/www/html/wordpress/wp-content/themes/hypeness-new/functions/social.php on line 410


X
Próxima notícia Hypeness:
Glifosato, veneno do agrotóxico, está associado à morte de 503 crianças ano no Brasil