Sustentabilidade

Arco de Darwin desaba por erosão; formação rochosa fica em Patrimônio Mundial da Unesco

Yuri Ferreira - 18/05/2021

O Arco de Darwin era uma das principais formações rochosas da Ilha de Galápagos, um dos mais importantes ambientes de conservação ambiental do mundo. Nessa semana, essa formação rochosa desabou por conta da erosão natural na região. A informação foi confirmada pelo Ministério do Meio Ambiente do Equador nessa semana.

– 30 novas espécies marinhas descobertas nas profundezas de Galápagos 

Arco de Darwin compunha a paisagem da Ilha Darwin, uma das principais formações rochosas do arquipélago de Galápagos, que conta com cerca de 230 ilhas

A localidade é considerada uma das melhores regiões para mergulho do planeta. Além disso, as Ilhas de Galápagos são consideradas Patrimônio Mundial da UNESCO por conta de sua importância para a ciência; foi em uma expedição para o arquipélago sul-americano que o cientista britânico Charles Darwin observou importantes indícios de sua teoria da evolução. Foi a partir da fauna da região que o biólogo percebeu que as espécies se adaptam de acordo com o ambiente em que vivem.

– Tartaruga gigante que estava ‘extinta’ há 110 anos é reencontrada em Galápagos 

O arquipélago de Galápagos contém 230 ilhas e 30 mil habitantes, que se espalham por apenas 4 ínsulas. O resto das ilhotas é habitado apenas pelos animais que um dia encantaram Charles Darwin e o ajudaram a teorizar sobre a origem das espécies.

“Barcos pesqueiros que navegavam pela região indicaram através das redes sociais o ocorrido. A causa é apontada como a erosão natural. Com o passar do tempo e o constante bater das ondas, a estrutura do Arco foi afetada. Seu teto desabou por completo e agora apenas dois pilares unidos pela base se mantém resistentes e esplendorosos nas águas do Pacífico”, afirmou o El Telégrafo, jornal local do Equador.

– Após 100 anos tartarugas voltam a nascer em Galápagos 

“O Arco de Darwin é feito de pedra natural que em algum momento teria sido parte da Ilha de Darwin, que não está aberta para visitas por terra. Este local é considerado um dos melhores lugares do planeta para mergulhar e observar cardumes de tubarões e outras espécies”, afirmou o Ministério do Meio Ambiente equatoriano, em nota.

Publicidade


Yuri Ferreira
Jornalista formado na Escola de Jornalismo da Énois. Já publicou em veículos como The Guardian, UOL, The Intercept, VICE, Carta e hoje escreve aqui no Hypeness.

Warning: file_put_contents(/var/www/html/wordpress/wp-content/themes/hypeness-new/functions/cache/twitter-stream-hypeness.txt): failed to open stream: Permission denied in /var/www/html/wordpress/wp-content/themes/hypeness-new/functions/social.php on line 410


X
Próxima notícia Hypeness:
Curso online e gratuito de aquaponia ensina a fazer cultivo doméstico e sustentável