Debate

Assessor de Bolsonaro pode ser indiciado por gesto supremacista

Redação Hypeness - 07/05/2021

Filipe Martins, o assessor especial da Presidência da República para Assuntos Internacionais, pode ser indiciado por ter feito um gesto associado aos supremacistas brancos durante uma sessão do Senado Federal. Após investigação da Polícia Legislativa, o órgão recomenda que o assessor de Jair Bolsonaro seja indiciado por crime de ódio.

No fim de março, o bolsonarista de extrema-direita fez um símbolo que lembra o ‘Ok’ em uma fala do ex-ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, ao Senado Federal. O sinal, porém, é comumente utilizado por extremistas que defendem a supremacia branca em países anglófonos. 

Leia também: ‘Prosa’ traz o racismo para o debate das questões ambientais e de mudanças climáticas

Assessor de Bolsonaro, Filipe G. Martins, tem relações com supremacistas brancos como Steve Bannon

Supremacia branca 

Durante nossa cobertura sobre o caso do assessor de Bolsonaro, relembramos que um terrorista supremacista reproduziu o símbolo ao ser condenado pela morte de 51 pessoas no atentado de Christchurch, na Nova Zelândia, em 2018. 

Filipe Martins também utiliza uma foto de capa em seu Twitter com uma frase de um poema de Dylan Thomas; o mesmo verso foi utilizado pelo terrorista de Christchurch no anúncio do ataque nas redes sociais.

Filipe Martins tem uma relação íntima com o pensamento hiperconservador estadunidense e com o Trumpismo, cuja base de apoio é repleta de defensores da supremacia branca.

O pedido de indiciamento feito pelo assessor de Bolsonaro lista a utilização do gesto por terroristas e o histórico de condutas do auxiliar do presidente. 

Segundo apuração da Polícia do Senado, que tem a autoridade para investigar ilegalidades ocorridas dentro do Congresso Nacional, Filipe Martins deve ser enquadrado em “crime de praticar, induzir ou incitar a discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional.”

O caso segue para o Ministério Público, que pode encaminhar a apuração para a Polícia Federal, que deve avaliar a continuidade do processo ou seu arquivamento.

A defesa de Martins afirma que ele ajeitava sua lapela. O assessor de Bolsonaro alega já ter prestado esclarecimentos às autoridades do Senado e seus advogados esperam que o caso seja arquivado.

Publicidade

Foto: Reprodução/TV Senado


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Warning: file_put_contents(/var/www/html/wordpress/wp-content/themes/hypeness-new/functions/cache/twitter-stream-hypeness.txt): failed to open stream: Permission denied in /var/www/html/wordpress/wp-content/themes/hypeness-new/functions/social.php on line 410


X
Próxima notícia Hypeness:
Secretário diz que mulheres se vacinam pela manhã para ‘fazer comida cedo’; vídeo