Debate

Bonnie e Clyde: a verdadeira história do dia em que o casal fora da lei foi apanhado

Redação Hypeness - 10/05/2021 | Atualizada em - 13/05/2021

Bonnie e Clydeo casal criminoso mais famoso do mundo. Você provavelmente já ouviu falar dos crimes e das histórias de Bonnie Elizabeth Parker e Clyde Chestnut Barrow, mas conhece a história do fim do casal fora da lei?

Leia também: Fotografias históricas do casal de criminosos Bonnie e Clyde são expostas pela primeira vez

Mas antes de falarmos do dia em que Bonnie e Clyde foram pegos pelos policiais, precisamos falar sobre como Bonnie e Clyde se conheceram, quem eram Bonnie e Clyde e, claro, sobre o filme que imortalizou o amor desses dois ícones da história ocidental.

Bonnie e Clyde – história

Bonnie Elizabeth Parker era um jovem nascida no interior do Texas. Apesar de ser uma aluna brilhante, o interior dos EUA não era um lugar aprazível para o sonho americano. A texana seguiu a regra da época e casou bem cedo com um homem chamado Roy.

Depois de seu casamento, ele acabaria sendo preso por cinco anos por um caso de roubo e nunca mais veria Bonnie. Ela se tornaria garçonete e conheceria, no trabalho, o galanteador Clyde Chestnut Barrow, um jovem do Kansas da sua idade que a seduziu para uma vida de viagens e crimes. Aí eles se tornaram Bonnie and Clyde.

– Série de fotos em P&B capta a experiência de ser negro na Chicago dos anos 1940

Bonnie and Clyde

Essa fotografia acabou mudando os retratos de Bonnie para sempre: doce e sentimental, a criminosa tirou essa foto brincando, mas ficou marcada pelo charuto e pelo revólver em adaptações de cinema

Clyde era um delinquente juvenil, como se diria à época. Ele foi preso pela primeira vez aos 16 anos e desde então nunca largou a vida do crime; aliás, roubos eram práticas comuns no seio do lar de Barrow; ele chegou a ser preso junto de seu irmão, que posteriormente integraria o bando banditista do casal.

Bonnie e Clyde se apaixonaram desvairadamente e passaram algumas semanas juntos em 1930 e então ele foi preso por roubo de automóveis. Passou dois anos na cadeia e logo voltou para Bonnie. A vontade de Clyde era se vingar do sistema, no geral. Após sofrer diversas violações no sistema prisional estadunidense, o jovem criminoso sentia raiva do mundo e, ao lado de sua amada de Bonnie, encontrou uma parceria para canalizar o ódio.

Foi em 1932 que o casal Bonnie e Clyde começou a cometer pequenos furtos ao redor do interior dos EUA. Com carros roubados e armas, os criminosos acabaram se tornando figura tarimbada em assaltos a postos de gasolina e pequenos produtores rurais, mas também tinham como alvo desejado os bancos.

– Universidade revela fotos raras do período da Grande Depressão e II Guerra Mundial

Os EUA passavam por uma crise econômica e social nessa época; a Grande Depressão estava em seu momento mais aprofundado e uma massa de criminosos se espalhou pelo país. Essa é a chamada de ‘A era dos inimigos públicos’ graças à grande quantidade de ladrões que surgiram durante o período. Bonnie e Clyde eram a representação desse momento histórico.

Não se sabe exatamente quantos foram os crimes de Bonnie e Clyde.  Mas sabe-se que no comando de um Ford V8, Bonnie e Clyde chegaram a libertar oito presos de uma penitenciária no Texas.  Além disso, contavam com mais três amigos para auxiliar na execução dos assaltos.

O dia da morte de Bonnie e Clyde

Clyde Chestnut Barrow foi vítima de violência sexual na cadeia e cometeu seu primeiro assassinato para se vingar de seu abusador; vida de crime foi vingança contra uma sociedade disfuncional

O banditismo romântico de Bonnie e Clyde acabou no dia 23 de maio de 1934 em uma estrada no estado de Lousiana, sul dos EUA.

Depois de dois ano s seguidos de crimes incessantes sem qualquer punição, as autoridades dos EUA se viram completamente incapazes de tentar prendê-los. Foi então que eles conseguiram um X-9 dentro da gangue de Bonnie e Clyde: Henry Methvin.

– Lee Muller: modelo, artista surrealista e correspondente de guerra desafiou costumes nos anos 1920

A polícia delegou o trabalho a um ranger, uma espécie de policial estadual dos EUA. Com a ajuda de Methvin, as autoridades criaram uma emboscada para os criminosos apaixonados na estrada que ligava o Texas à Louisiana.

Bonnie era conhecida por escrever poemas e textos literários, além, é claro, por ser uma exímia assaltante

Os policiais estavam atrás de arbustos enquanto Clyde acelerava seu Ford V8 com pés descalços e Bonnie comia um sanduíche tranquila. Segundo os relatos, não pareciam dois perigosos criminosos, mas apenas um casal viajando pelas estradas dos EUA.

Foi aí que os rangers do Texas desceram uma chuva de balas em direção ao carro e assassinaram os bandidos do amor. Bonnie e Clyde morreram pelas mãos da polícia, mas acabaram se cristalizando com uma das maiores histórias de amor moderna.

Bonnie e Clyde – filme e referências na cultura pop

Bonnie e Clyde

Bonnie e Clyde se tornaram história romântica e ícone do mundo pop, mas tiveram fim trágico e nunca foram julgados por seus crimes

O filme ‘Bonnie and Clyde’, de 1967, um clássico do cinema estadunidense, acabou popularizando a história dos dois inimigos públicos apaixonados. O longa retrata Clyde como um homem frio e muito ambicioso, e Bonnie como uma mulher que fumava charutos e era barra pesada.

Relatos de historiadores que estudaram o casal, entretanto, mostra que Clyde era um homem doce e apaixonado, mas com sede de vingança contra o estado policial dos EUA e Bonnie como uma mulher inteligentíssima, apaixonada por literatura e bastante sentimental, diferente do retrato mais comum de sua personalidade.

Eles acabaram se tornando figutas importantíssimas na figura pop e até na ciência. Alguns psicólogos afirmam que existe uma parafilia chama Hibristofilia ou Síndrome de Bonnie e Clyde, em que o sujeito sente uma tração sexual pela ilegalidade e por criminosos.

Além dessa série incrível da Netflix sobre Bonnie e Clyde, vale também ouvir a homenagem de Serge Gainsbourg e Brigitte Bardot ao banditismo apaixonado de Bonnie Parker e Clyde Barrow:

E terminemos com um trecho do poema ‘A história de Bonnie e Clyde’, escrito por Bonnie Parker, em 1934:

“Eles não pensam que são muito duros ou desesperados,
Eles sabem que a lei sempre vence;
Eles já foram alvejados antes,
Mas eles não ignoram
Que a morte é o salário do pecado.

Algum dia eles descerão juntos;
E eles vão enterrá-los lado a lado;
Para poucos, será
um alívio, para a lei, um alívio
Mas é a morte para Bonnie e Clyde.”

 

 

Publicidade

Fotos: Domínio Público


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Warning: file_put_contents(/var/www/html/wordpress/wp-content/themes/hypeness-new/functions/cache/twitter-stream-hypeness.txt): failed to open stream: Permission denied in /var/www/html/wordpress/wp-content/themes/hypeness-new/functions/social.php on line 410


X
Próxima notícia Hypeness:
Crivella embaixador na África do Sul? O que se sabe sobre movimento de Bolsonaro