Ciência

Caso de bebê que recebeu coração transplantado de doador com parada cardíaca é inédito

Redação Hypeness - 21/05/2021 | Atualizada em - 24/05/2021

Uma cirurgia cardíaca pioneira realizada no hospital Gregorio Marañon, em Madri, salvou a vida da pequeníssima espanhola Naiara, um bebê de apenas dois meses, com procedimentos médicos verdadeiramente pioneiros. Naiara se recupera da cirurgia depois de ter recebido o coração de outro bebê: a novidade está no fato do coração ter sido transplantado depois de parado por várias horas, e dos dois bebês terem tipos sanguíneos incompatíveis.

A pequena Naiara se recupera na enfermaria após a complexa cirurgia

A pequena Naiara se recupera na enfermaria após a complexa cirurgia 

-Coração artificial com tecnologia avançada será colocado à venda ainda em 2021

Trata-se, segundo o hospital, de um caso único, envolvendo um doador e um receptor especialmente pequenos, utilizando um coração que havia parado de receber sangue (isquemia) há diversas horas, e mantido em baixa temperatura para conservação. O doador encontrava-se ainda em um hospital diferente de onde o transplante foi realizado, e o fato dos bebês envolvido serem de tipos sanguíneos não-compatíveis tornaram o procedimento e seu êxito ainda mais especiais.

Naiara pesava somente 3,2 kg quando passou pela cirurgia

Naiara pesava somente 3,2 kg quando passou pela cirurgia

-Coração do filho do goleiro do Cruzeiro morto em acidente doméstico salva vida de bebê

“É o primeiro caso no mundo em que coincide que seja um transplante em um bebê com doação em assistolia [coração parado] e entre bebês com grupos sanguíneos diferentes”, afirmou Juan Miguel Gil Jaurena, médico chefe do setor de cirurgia cardíaca infantil do hospital Gregorio Marañon. O coração doado precisou ser reanimado antes de ser retirado para o transplante acontecer, como parte do procedimento pioneiro realizado – e duas vezes, pois o coração teve de ser novamente reanimado ao fim da cirurgia.

Naiara se recupera em Madri após cirurgia

As informações sobre o bebê doador foram mantidas em sigilo

-Já no 1º mês sem carne vermelha as chances de ataque cardíaco caem muito

“A questão não é reanimar só uma vez, mas duas vezes, neste caso”, explicou o médico, em entrevista ao jornal espanhol ‘El País’. “Aqui, a magia se redobra: por um lado, em recuperar um coração parado, para que volte a bater, e, depois, quando volta a bater definitivamente, já dentro do peito do receptor”, disse. “Após a inserção, o coração começou a bater forte e estável”, confirmou Jaurena. O problema no coração da pequena Naiara – um tipo de cardiopatia congênita ocorrido durante a formação do coração – foi percebido ainda na gravidez, e por isso a gestação teve de ter duração de somente 34 semanas.

A pequena Naiara se alimentando após transplante pioneiro

O coração doado teve de ser reanimado duas vezes durante todo o procedimento

-Garoto dança na cama de hospital celebrando seu sucesso após transplante de coração

As chances de encontrar um coração compatível e tão pequeno eram poucas, mas enfim o doador apareceu. Segundo consta, Naiara pesava somente 3,2 kg quando passou pelo procedimento cirúrgico – que abre um feliz procedente para as tantas crianças que nascem com problemas cardíacos complexos. Naiara passou algumas semanas na UTI, e já se encontra em recuperação na enfermaria.

Naiara dorme após cirurgia

A combinação de diversos fatores fez da cirurgia um procedimento pioneiro

Publicidade

© fotos: Hospital Gregorio Marañon


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.