Debate

Equipe de Íris se desculpa por caso de transfobia contra Ariadna em ‘No Limite’

Karol Gomes - 20/05/2021

Resgatado direto dos anos 2000, o reality show “No Limite”, está de volta à grade da TV Globo. No segundo episódio, que foi ao nesta terça-feira (18), já exibiu um debate necessário envolvendo as participantes Íris Stefanelli e Ariadna, única mulher trans na disputa.

Enquanto Íris teve uma postura transfóbica dentro do programa, sua equipe de marketing e redes sociais escolheu o posicionamento oposto, se desculpando pela fala da participante a respeito de Ariadna. Foi publicado um comunicado nas redes sociais de Íris, que está isolada por causa do reality.

“Após as cenas veiculadas na edição de hoje do No Limite, viemos a público pedir desculpas a todos que se sentiram ofendidos ou diminuídos com as palavras da Íris. Temos a certeza de que, assim que ela voltar à realidade, e assistir às suas falas, vai se desculpar com todos e buscar se informar sobre essa triste realidade. Íris, assim como muitos de nós, tem muito o que aprender sobre este e outros assuntos”, começa o texto da equipe da participante.

– Luísa Sonza promove debate sobre transfobia após ser chamada de travesti

Ariadna foi a primeira e única mulher trans a participar do BBB, na edição de 2011

Em um programa sobre sobrevivência na natureza, a conversa acabou caindo na sobrevivência do dia a dia. Íris dizia que as pessoas precisam buscar oportunidades por educação ou emprego em concursos públicos, quando foi interrompida por Ariadna, que falou do seu passado de prostituição por não ter outra opção por conta da transfobia estrutural, que afasta pessoas trans de ambientes corporativos e oportunidades de trabalho.

– ‘BBB’: Karol Conká acusa Nego do Borel de transfobia: ‘Você é igual essa galera estranha?’

Íris respondeu prontamente que Ariadna “tinha sim outra opção”. Ariadna rebateu dizendo que Iris, uma mulher loira, cisgênero, branca, de olhos claros, teve acesso a muitas outras oportunidades do que mulheres trans.

– Autores se demitem de editora de JK Rowling após empresa não se posicionar sobre transfobia

O texto no perfil de Íris seguiu falando sobre a participação de Íris no Big Brother Brasil 2007, quando era uma das favoritas do público: “Respeitamos demais a história da Ariadna e temos um carinho muito grande por ela e pela parceria de ambas, como vimos desde o programa de estreia. Íris está longe de ser contra as minorias. Quem a conhece, desde o BBB7, e convive com ela (amigos e familiares), sabe bem do que estamos falando. Que essa experiência traga um grande aprendizado para todos, reflexo da convivência, indo além das provas de resistência e das adversidades do cenário em que vivem durante as gravações”.

O caso é um exemplo de como funciona essa dinâmica entre participante e “ADMs” – como são chamadas as pessoas encarregadas de administradas as redes sociais de participantes de reality shows. Ao contrário de quando Ariadna, Íris e boa parte do elenco de No Limite, inteiramente composto de ex-BBBs, participaram de um reality show pela primeira vez, hoje as redes sociais fazem grande parte das campanhas das pessoas para vencer o programa.

– Mãe de Demétrio Campos fala como a alegria de viver do filho foi abreviada pelo racismo e transfobia

Hoje em dia, por trás de todo participante de reality show, há uma equipe de marketing e redes sociais. Nada de deixar os perfis parados enquanto uma pessoa está isolada para gravações ou mesmo para serem observadas 24 horas por dia.

Publicidade

Fotos: Reprodução / Globoplay


Karol Gomes
Karol Gomes é jornalista e pós-graduada em Cinema e Linguagem Audiovisual. Há cinco anos, escreve sobre e para mulheres com um recorte racial, tendo passado por veículos como MdeMulher, Modefica, Finanças Femininas e Think Olga. Hoje, dirige o projeto jornalístico Entreviste um Negro e a agência Mandê, apoiando veículos de comunicação e empresas que querem se comunicar de maneira inclusiva.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.