Ciência

Ferramenta de 24 mil anos aponta para presença humana na América do Sul antes do sabido

Vitor Paiva - 27/05/2021 às 10:26

A descoberta de uma ferramenta de pedra no sítio arqueológico do Vale da Pedra Furada, no Piauí, pode alterar o que se sabia sobre quando a chegada dos humanos modernos na América do Sul se deu. Com 24 mil anos, o instrumento sugere presença humana anterior ao que supunham as teorias atuais, e é feito de material incomum em relação a outros artefatos encontrados, e utiliza técnica até então desconhecidas no contexto paleoamericano, especialmente para o período. A ferramenta estava junto de outros 2,2 mil artefatos descobertos no sítio do Parque Nacional da Serra da Capivara.

A Pedra Furada, no Parque Nacional da Serra da Capivara, tornou-se Patrimônio Cultural em 1991 © Wikimedia Commons

-América do Sul teve mulheres caçadoras há mais de 9 mil anos, aponta estudo

A escavação realizada por pesquisadores da Missão Franco-Brasileira de Arqueologia no Piauí aconteceu em 2016, mas o detalhamento a respeito da ferramenta foi publicado em março de 2021 na revista Plos One, e noticiada pelo site Ancient Origins. Feita de arenito siltoso, uma rocha incomum diante dos outros artefatos descobertos, feitos de quartzo ou quartzito, mede 21 cm por 18,5 centímetros, com 2,9 cm de espessura, e sua função ainda não foi determinada – mas sua idade deixa clara que a presença humana na região remonta ao Último Máximo Glacial, e não no período pós-glacial, como informam as teorias mais aceitas até então.

Registro detalhado da ferramenta encontrada no Piauí

Registro detalhado da ferramenta encontrada no Piauí © Eric Boëda

-México e Piauí são chave de pesquisa que revela ‘descoberta’ da América muito antes do imaginado

“Se o caráter intencional desse artefato é incontestável, sua função permanece enigmática”, comentou, em comunicado, o pesquisador Eric Boëda, um dos líderes da missão. “Talvez seja um objeto de uso simples ou, mais provavelmente, um objeto com uma função simbólica. Isso explicaria, ao mesmo tempo, sua singularidade entre os conjuntos de ferramentas da camada arqueológica a que pertence, e o fato de não o termos encontrado em outras camadas de outros sítios”, afirmou o pesquisador.

Registro detalhado da ferramenta encontrada no Piauí

O instrumento é parte de um grupo de 2,2 mil artefatos descobertos © Eric Boëda

-Por falta de recursos, Parque Serra da Capivara fecha as portas

Segundo Boëda, os dados atuais confirmam que o artefato encontrado no Piauí é “um dos mais antigos, senão o mais antigo, resultante de uma produção bifacial na América do Sul”. Até aqui a arqueologia considerava que a chegada do Homo Sapiens na região havia se dado cerca de 15 mil anos atrás. A datação foi realizada através da análise de radiocarbono dos carvões associados ao instrumento, assim como por técnica de luminescência dos sedimentos ao redor dos artefatos descobertos, confirmando assim uma idade entre 27.600 e 24.000 anos.

As escavações no sítio

As escavações no sítio ocorrem há mais de uma década © Mario Pino/divulgação

-Esta pode ser a rocha mais antiga da Terra – mas foi coletada na lua

O Último Máximo Glacial se deu entre 26.500 e 19.000 anos atrás. As escavações incluem pesquisadores franceses, peruanos e brasileiros.

Instrumentos descobertos no Piauí

Alguns dos outros instrumentos encontrados pela missão em 2016 © Eric Boëda

Publicidade

© fotos: créditos


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, Vitor Paiva é doutor em Literatura, Cultura e Contemporaneidade pela PUC-Rio. Autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores, publica artigos, ensaios e reportagens.

Canais Especiais Hypeness