Debate

Justin Bieber é acusado de apropriação cultural; entenda situação

Redação Hypeness - 04/05/2021

Justin Bieber está sendo acusado de apropriação cultural depois de mudar o penteado. O cantor canadense estreou o estilo dreadlocks no domingo em uma foto publicada no Instagram, depois postou um close-up na segunda. Como em 2016, quando ele foi fotografado em trancinhas, as imagens causaram indignação nas redes sociais.

Justin Bieber faz dreads e acende debate sobre apropriação cultural

Justin Bieber faz dreads e acende debate sobre apropriação cultural

Embora o cantor não tenha falado nada com referência a seu cabelo nas fotos que postou, outros foram rápidos em comentar. “É realmente decepcionante ver você com dreads, pensei que você tinha se educado”, disse @mimisreighn.

Outro usuário do Instagram @newshaileybieber acrescentou: “isso é apropriação cultural … sei que você pode fazer melhor.”

Stephanie Cohen, cofundadora e organizadora legal e política do Halo Collective, uma organização natural de cabelos, disse ao Guardian: “Quando vejo uma pessoa branca na grande mídia com um penteado preto, fico com raiva. Você não pode simplesmente usar algo tão historicamente significativo e ignorar as lutas por trás do que o penteado significa”.

Seguidores pedem que Justin Bieber corte o cabelo

Seguidores pedem que Justin Bieber corte o cabelo

Cohen disse que aqueles que deliberadamente ignoram, zombam e desrespeitam o significado cultural dos estilos de cabelo “não têm o direito” de usá-los.

“Meu raciocínio e compreensão de alguém vestindo algo não específico à sua cultura ou etnia é que se eles não podem falar pelos direitos dos negros ou das minorias [e] ser um aliado consistente – então eles não têm o direito de usar algo como dreadlocks”.

O que é apropriação cultural?

A apropriação cultural acontece quando uma pessoa, marca ou grupo de uma cultura usa elementos, tendências, estilos ou qualquer símbolo claramente característico de outra cultura, na maioria das vezes sub-representada, para ganhar status, vender produtos, enfim, ter algum tipo de lucro.

É simplesmente usar turbantes, dreadlocks, tranças, cocares, quimonos com o objetivo de ganhar dinheiro. Mas há quem entenda que o uso meramente estético, apagando a simbologia original, também se enquadra nesta categoria.

Não se trata meramente de usar um cabelo diferente, mas de marginalizar as culturas que representam esse elemento enquanto o valorizam quando apropriado (em geral) por um representante da opressão, no caso, uma pessoa branca, rica e privilegiada.

“A apropriação cultural é um mecanismo de opressão por meio do qual um grupo dominante se apodera de uma cultura inferiorizada, esvaziando de significados suas produções, costumes, tradições e demais elementos. É uma estratégia de dominação que visa apagar a potência de grupos histórica e sistematicamente inferiorizados, esvaziando de significados todas as suas produções, como forma de promover seu genocídio simbólico. Apropriação cultural e racismo são temas imbricados”, segundo definição do antropólogo Rodney William.

Justin Beiber e a apropriação cultural

No caso de Bieber, muitos fãs também vieram em sua defesa dizendo que seu visual não se enquadra na acusação. “Isso não é apropriação cultural, já que ele não alegou que o inventou, nem se beneficia financeiramente de ter esse estilo de cabelo”, disse @dona.co.uk em um comentário. Outro disse simplesmente: “deixe-o fazer o que quiser com o cabelo”.

O cantor de “Peaches” também foi anteriormente acusado do mesmo em 2016, quando usava dreadlocks e trancinhas. Bieber reagiu à reação dizendo “é apenas meu cabelo”, de acordo com The Fader.

No ano passado, Bieber compartilhou como a cultura negra influenciou sua carreira. “Estou inspirado pela cultura negra”, escreveu ele em um post no Instagram. “Eu me beneficiei da cultura negra. Meu estilo, como canto, danço, me apresento e minha moda foram influenciados e inspirados pela cultura negra”.

Ele disse que, ao compartilhar, estaria comprometido em usar sua plataforma “para aprender, falar sobre injustiça racial e opressão sistêmica e identificar maneiras de fazer parte de uma mudança tão necessária”.

Publicidade

Fotos: @justinbieber


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.