Ciência

Medicinas usadas por povos ameríndios são descobertas em bolsa de mil anos de idade

Redação Hypeness - 25/05/2021 | Atualizada em - 28/05/2021

Em algum momento entre o século 9 e o século 16, um homem carregava uma bolsa de apetrechos bastante suspeita nos olhos de hoje. Resquícios de diversos entorpecentes estavam presentes na sacolinha desse viajante que andava pela Caverna do Chileno, na Bolívia.

– Brasil lidera frente mundial de pesquisa sobre uso medicinal de LSD, cogumelos, MDMA e Ayahuasca

Ao menos essa é uma descoberta de José Capriles, antropólogo da Universidade Estadual da Pensilvânia, publicada em 2019 na revista PNAS. O cientista decidiu estudar um apetrecho encontrado em uma caverna boliviana porque suspeitava que os itens dentro dela estavam ligados a algum tipo de xamã.

Artefatos mostram relação de povos pré-colonização com substâncias entorpecentes

De fato, a bolsa encontrada na Cueva del Chileno, em Ayota, formação rochosa encontrada a 3800 metros de altitude no meio dos Andes bolivianos, indicava o trajeto de um xamã que viajou bastante, em ambos os sentidos, durante sua vida.

– Como me senti no dia em que tomei ayahuasca pela primeira vez

Exames toxicológicos encontraram sete substâncias psicoativas na bolsa: cocaína, harmina (um alucinógeno extraído do cipó-mariri), psilocina (outro alucinógeno obtido de cogumelos mágicos), dimetiltriptamina (o DMT, obtido da chacrona), benzoilecgonina (substância obtida pelo chá de coca) e bufotenina (outro alucinógeno, proveniente de uma toxina emitida por alguns sapos amazônicos).

A teoria dos antropólogos é que se tratasse de um viajante ou comerciante. Isso porque o DMT da chacrona e a harmina do cipó-mariri são drogas originadas nas planícies amazônicas, localizadas a mais de mil quilômetros de Ayota, onde a droga foi encontrada. (Uma baita caminhada, né?).

A descoberta mostra que o consumo da ayahuasca não é recente, o que muda um pouco o panorama de alguns historiadores das drogas que acreditavam que o consumo da harmina e do DMT eram modernos.

– Cordilheira dos Andes fica mais verde graças ao trabalho de comunidades indígenas

A bolsinha ainda revelava que o homem carregava apetrechos para a inalação de substâncias, espátulas feitas de ossos de lhama, uma bolsa feita de nariz de raposa e uma tiarinha decorada. Fofo, né?

Publicidade

Fotos: Reprodução/PNAS


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.