Reverb

Música das aranhas: experimento transforma fios das teias em instrumentos musicais

Vitor Paiva - 21/05/2021 | Atualizada em - 25/05/2021

Se muitos instrumentos musicais funcionam através de cordas, como seria a sonoridade se os fios de uma teia de aranha fossem como cordas de uma harpa ou de um violão? Como é a música das aranhas? Essa é a curiosa pergunta que um grupo de cientistas do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT) procurou responder em um novo experimento.

Para tal, teias de aranha serviram de modelo para o desenvolvimento de encordoamentos vibrantes capazes de gerar som – de gerar música. A pesquisa foi apresentada por Markus Buehler, professor de engenharia do MIT, e sua equipe em uma conferência da American Chemical Society dedicada aos profissionais da indústria química, e tem como objetivo, segundo Buehler,  “expandir a forma como geramos som na música e como compomos música”, em relato ao site Digital Music News.

Teia de aranha

Os padrões das teias serviram de base para a música tal qual uma partitura © Pixabay

-Se você tem medo de aranhas, é melhor não ver essa série fotográfica

A música gerada pelo projeto foi acompanhada de vídeos em 3D, ilustrando o funcionamento das teias enquanto instrumentos e a lógica estabelecida para o desenvolvimento dos sons. O professor trabalhou com sons e intervalos reconhecíveis pela audição humana, e criou padrões gráficos para estabelecer a duração, a amplitude e a região de cada nota – tornando, assim, o grafismo das teias em uma efetiva partitura musical.

“Você ouve algo que no começo soa bastante dissonante para o ouvido humano”, diz Buehler. “Mas depois de passar algum tempo na ‘teia’, torna-se estranhamente familiar”. Cada “corda” das teias foi transformada em um modelo interativo capaz de reproduzir sons diversos – como em um instrumento de fato.

-Arte da natureza: veja o impressionante trabalho feito por aranhas na Austrália

Alguns especialistas reconhecem na “música” das aranhas a sonoridade de uma dissonante orquestra de sinos; outros perceberam semelhança com a trilha incidental de uma sequência cinematográfica de suspense ou terror – ouve quem reconhecesse sonoridade semelhante à introdução da clássica “Time”, canção da banda inglesa Pink Floyd. “[As aranhas] são essencialmente cegas, então elas experimentam o mundo é efetivamente pelas vibrações, seja pela teia como um gigante receptor de vibrações, ou se comunicando umas com as outras”, diz o professor.

-Escute um quadro de Kandinsky pelo novo projeto do Google que nos permite ouvir cores

O interessante resultado do experimente pretende inspirar outros projetos semelhantes, relacionados à música e à criação de sons e sistemas. “Isso mostra que nosso sistema de referência humano não é o único”, diz Buehler. “Para algo como uma aranha, existe uma maneira totalmente diferente de experimentar o mundo, e agora temos a capacidade de ver isso”. O próximo passo do projeto é retornar aos laboratórios com o cientista argentino e colaborador Tomás Saraceno para registrar as reações das próprias aranhas às versões feitas por humanos para sua música.

Teia de aranha

O próximo passo da pesquisa é registar a reação das aranhas à música © Pixabay

Publicidade

© fotos: Pixabay


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, doutor em literatura pela PUC-Rio, publica artigos, ensaios e reportagens. É autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores.

Especiais


Warning: file_put_contents(/var/www/html/wordpress/wp-content/themes/hypeness-new/functions/cache/twitter-stream-hypeness.txt): failed to open stream: Permission denied in /var/www/html/wordpress/wp-content/themes/hypeness-new/functions/social.php on line 410


X
Próxima notícia Hypeness:
Instituto Museu Itamar Assumpção abre para preservar a obra e memória do artista