Debate

Neymar teve contrato com a Nike rompido por denúncia de assédio, afirma jornal

Yuri Ferreira - 28/05/2021 às 11:31

Informações do Wall Street Journal mostram que a Nike rompeu seu contrato de patrocínio com o atleta brasileiro Neymar após uma funcionária denunciá-lo por assédio sexual. O patrocínio da empresa de material esportivo duraria até 2026, mas foi encerrado com oito anos de antecedência após o incidente.

Segundo a companhia norte-americana, o jogador se recusou a colaborar com as investigações. A equipe de Neymar nega qualquer relação do atleta do Paris Saint-Germain com as denúncias.

– Justiça bloqueia 36 imóveis de Neymar em ação por sonegação 

Neymar foi novamente acusado de assédio sexual; distribuidora de material esportivo de seu time, PSG, e da Seleção Brasileira, desligou sua imagem do jogador após denúncias internas

O caso 

Uma funcionária da Nike afirma que, durante um evento em 2016 nos EUA, Neymar a trancou em um quarto de hotel e tentou forçá-la a fazer sexo oral com ele. Em 2018, a funcionária levou a denúncia ao RH da empresa, que decidiu fazer uma investigação sobre o caso.

– Estratégia de Neymar de vazar fotos pode livrá-lo de crime virtual

“A investigação foi inconclusiva. Não emergiram fatos suficientes que nos permitam falar substancialmente sobre o assunto. Seria inapropriado para a Nike fazer uma declaração acusatória sem poder oferecer fatos que a suportem. A Nike encerrou sua relação com o atleta porque ele se recusou a cooperar em uma investigação de boa-fé de alegações críveis de uma funcionária. Continuamos respeitando a confidencialidade da funcionária e reconhecemos que essa tem sido uma longa e difícil experiência para ela”, afirmou a Nike ao Wall Street Journal.

A equipe de Neymar nega a existência de alguma denúncia de assédio sexual. O pai de Neymar afirma que o contrato foi rompido unilateralmente pelo jogador por falta de pagamento. “Neymar Jr. se defenderá vigorosamente contra esses ataques infundados caso alguma reclamação seja apresentada, o que não aconteceu até agora”, se pronunciou a equipe do camisa 10.

Em 2019, outras alegações de violência sexual foram feitas contra o jogador. À época, a modelo Najila Trindade acusou Neymar de estupro. As investigações sobre o caso foram rapidamente arquivadas por falta de provas suficientes.

Publicidade

Fotos: Getty Images


Yuri Ferreira
Jornalista formado na Escola de Jornalismo da Énois. Já publicou em veículos como The Guardian, UOL, The Intercept, VICE, Carta e hoje escreve aqui no Hypeness.

Canais Especiais Hypeness