Debate

Os elogios do ex-líder da Ku Klux Klan ao presidente do Brasil em 2018: ‘Soa como nós’

Vitor Paiva - 25/05/2021 às 19:55

O nacionalista estadunidense David Duke é provavelmente a face mais famosa do racismo e do preconceito nos EUA – e no passado recente ele declarou admiração e identificação com Jair Bolsonaro, seu pensamento e suas ações: “Ele soa como nós. E também é um candidato muito forte. É um nacionalista”, afirmou. A declaração aconteceu em 2018, durante a exibição do programa de rádio que o militante de extrema-direita e ex-líder da Ku Klux Klan então apresentava, como comentário a respeito das campanhas políticas para presidência no Brasil, que viria a ser vencida por Bolsonaro naquele ano.

David Duke

David Duke se reconheceu no discurso de Bolsonaro em seu programa em 2018 © YouTube/reprodução

-Supremacista branco preso na Nova Zelândia fez mesmo gesto de assessor de Bolsonaro

Vale frisar que, à época e diante da repercussão internacional de sua fala, Duke esclareceu que seu comentário não era uma declaração formal de apoio, mas que o líder simplesmente “gostava” do então candidato brasileiro. O próprio Bolsonaro repudiou a fala do estadunidense através de sua conta no Twitter, recusando “qualquer tipo de apoio vindo de grupos supremacistas”, e lembrando que o Brasil é um país miscigenado. A fala de Duke, portanto, se efetivou como um comentário crítico e político, reconhecendo semelhanças entre o discurso do brasileiro e o seu.

David Duke

Duke em 1978, quando liderava a KKK © Wikimedia Commons

-Ele já convenceu 200 membros da KKK a deixar o grupo por meio da conversa

“Ele é totalmente um descendente europeu. Ele se parece com qualquer homem branco nos EUA, em Portugal, Espanha ou Alemanha e França. E ele está falando sobre o desastre demográfico que existe no Brasil e a enorme criminalidade que existe ali, como por exemplo nos bairros negros do Rio de Janeiro”, afirmou Duke no programa de rádio, no qual se referiu ao político brasileiro como “o incrível Bolsonaro”.

Manifestante racista com uniforme da KKK na marcha em Charlotesville

Manifestante racista com uniforme da KKK na marcha em Charlotesville, em 2019 © Getty Images

-Líder da Ku Klux Klan é preso após avançar com carro em protesto por George Floyd e contra o racismo

O antissemitismo é um traço forte do pensamento de Duke, e tal preconceito complementou sua análise sobre Bolsonaro em 2018. “Ele vai fazer coisas a favor de Israel, e acredito que ele esteja tentando adotar a mesma estratégia que Trump: acho que Trump sabe que o poder judaico está levando a América ao desastre, levando a Europa e o mundo ao desastre. Então, o que ele está tentando fazer é ser positivo em relação aos judeus nacionalistas em Israel como uma maneira de obter apoio”, afirmou.

Quem é David Duke?

Político ligado ao Partido Republicano, ativo apoiador de Trump, supremacista branco, negacionista do Holocausto e propagador de teorias da conspiração nos EUA, entre 1974 e 1980 David Duke atuou com “Grand Wizard”, espécie de líder supremo, na Ku Klux Klan. Extremista cristão e defensor da segregação racial, Duke foi o rosto público da KKK durante seu período à frente do mais famoso grupo racista dos EUA e possivelmente do mundo, fundado em 1865. De lá pra cá, Duke permanece como voz ativa do racismo, do preconceito e do ódio no país e no mundo.

O ator Topher Grace vivendo Duke no filme "BlacKKKlasman", de Spike Lee

O ator Topher Grace vivendo Duke no filme “BlacKKKlasman”, de Spike Lee © reprodução

Publicidade

© fotos: créditos


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, Vitor Paiva é doutor em Literatura, Cultura e Contemporaneidade pela PUC-Rio. Autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores, publica artigos, ensaios e reportagens.

Canais Especiais Hypeness