Debate

Palestina vê território encolher desde anos 40; mais de 200 palestinos foram mortos em conflito com Israel

Vitor Paiva - 20/05/2021 | Atualizada em - 21/05/2021

Já são 212 palestinos mortos pelo atual confronto entre o estado de Israel e os grupos Hamas e Jihad Islâmica, com feridos superando a marca de 1,5 mil na região. com os funerais sucedendo de forma improvisada e contínua, os bombardeios seguem assolando a Faixa de Gaza – em resposta aos foguetes lançados pelos grupos contra Israel.

Do lado israelense a estimativa é de que 10 pessoas tenham perdido a vida, e um ataque recente israelense destruiu uma sede de veículos internacionais de imprensa em Gaza, dificultando ainda mais a comunicação sobre o conflito.

Prédio de 6 andares contendo centros de estudo e uma mesquita destruído recentemente em Gaza

Prédio de 6 andares contendo centros de estudo e uma mesquita bombardeado recentemente em Gaza

-Coronavírus: paramédicos judeu e muçulmano rezam juntos em Israel e dão aula de convivência

A disputa pelo território é tão antiga que remonta ao Império Romano, mas foi principalmente depois do estabelecimento do Estado de Israel em 1948 – três anos após o fim da Segunda Guerra mundial – que os conflitos com o povo palestino se intensificaram – e, de lá pra cá, o território estabelecido para o estado israelense na região cresceu de forma desordenada e impositiva, ao custo de muitas invasões, assentamentos e vidas perdidas.

O plano original previa o estabelecimento de Jerusalém como cidade internacional, gerida pela ONU. As informações são de reportagem publicada pela BBC News.

Imensas explosões vêm assolando dia e noite na região de Gaza

Imensas explosões vêm assolando dia e noite na região de Gaza

-Incríveis imagens mostram como estão e como eram cenários da Segunda Guerra Mundial

Logo que Israel foi criado, uma guerra que duraria até 1949 faria com que a dimensão estabelecida pela ONU para a criação de um estado árabe na região se reduzisse pela metade.

A maior mudança aconteceu, no entanto, em 1967 como efeito da Guerra dos Seis Dias, quando Israel ocupou a Península de Sinai, a Faixa de Gaza, a Cisjordânia, Jerusalém Oriental e grande parte das Colinas do Golã – triplicando, dessa forma, seu território originalmente estabelecido. A ocupação de Jerusalem oriental, das colinas e de terras com fontes de água é ponto importante do conflito que se mantém na região.

Homem palestino diante de uma bomba israelense que falhou em explodir em maio de 2021

Homem palestino diante de uma bomba israelense que falhou em explodir em maio de 2021

-Diretor de ‘Senhor dos Anéis’ restaura e colore 100 horas de filmagens da Primeira Guerra Mundial

A reivindicação de novas áreas e a ameaça de despejo de famílias palestinas o bairro de Sheikh Jarrah, fora dos muros da Cidade Velha de Jerusalém, teria sido o estopim dos novos conflitos.

As centenas de assentamentos com mais de 430 mil colonos israelentes, tanto em Jerusalém oriental quanto na região da Cisjordânia, vem ampliando o território controlado por Israel ao longo das décadas de 1970, 1980 e 1990. A população dos assentamentos israelenses dobrou nos últimos 20 anos, e a reportagem da BBC ilustra tal processo através de três detalhados mapas: estima-se que a Palestina ocupe hoje cerca de 15% do território que ocupava antes dos primeiros acordos, na primeira metade do século XX.

Explosão em Gaza

O novo conflito teve início no dia 10 de maio

Publicidade

© fotos: Getty Images


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, Vitor Paiva é mestre e doutor em Literatura, Cultura e Contemporaneidade pela PUC-Rio. Publica artigos, ensaios e reportagens, é autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Joice Hasselmann usou remédio associado com casos de apagão de memória