Ciência

Testes clínicos estudam eficácia de cannabis contra enxaqueca

Redação Hypeness - 25/05/2021 | Atualizada em - 27/05/2021

A cannabis tem se mostrado eficaz no alívio de uma infinidade de doenças. Hoje, com a quebra de tabus e a consciência de países progressistas, mais estudos provam a eficácia desta poderosa planta no controle da enxaqueca.

“Ah, mas agora vão querer liberar uma droga com base em dor de cabeça”, passa pela mente do leitor conservador desavisado. Isso mesmo. E quem já teve – ou passou anos convivendo com – a enxaqueca, discordaria fervorosamente desse questionamento tão raso. Poderia começar falando sobre o cigarro, liberado com um total de zero efeitos positivos no corpo.

A cannabis ou maconha vem sendo usada para aliviar dores de cabeça há milhares de anos. Sim, estamos atrasados nesta conversa, já que os testes clínicos efetivamente rigorosos com esse antigo remédio começaram só agora.

O primeiro estudo duplo-cego, randomizado e controlado por placebo está agora investigando se os produtos de cannabis, como THC e CBD, podem realmente tratar enxaquecas agudas de forma segura e eficaz.

Atualmente, 20 participantes que apresentam enxaquecas mensais estão inscritos no estudo, mas pesquisadores da Universidade da Califórnia em San Diego esperam inscrever pelo menos mais 70 voluntários.

Hoje, apesar das inúmeras opções de tratamento, um número significativo de pessoas ainda sofre de enxaquecas, que muitas vezes podem ser debilitantes. A dor latejante, geralmente localizada em um lado da cabeça, pode durar horas ou até dias e ser acompanhada por náuseas, vômitos e extrema sensibilidade à luz ou ao som.

Infelizmente, nem todo mundo responde da mesma forma aos tratamentos atuais para enxaqueca e, com o tempo, esses medicamentos podem parar de funcionar para alguns pacientes.

Muitos relatam ter optado pela cannabis como uma alternativa, mas desde que a planta foi considerada ilegal nos Estados Unidos, tem havido muito pouca pesquisa sobre seu potencial como remédio para dores crônicas. Muito do que sabemos é apenas anedótico.

“Muitos pacientes que sofrem de enxaquecas as têm experimentado por muitos anos, mas nunca discutiram sobre isso com seus médicos. Eles estão, ao contrário, se tratando com vários tratamentos, como a maconha”, disse o neurologista de cefaléia Nathaniel Schuster da UCSD ao Science Alert.

“No momento, quando os pacientes nos perguntam se a cannabis funciona para as enxaquecas, não temos dados baseados em evidências para responder a essa pergunta”.

Durante décadas, o potencial médico da cannabis e dos canabinóides foi negligenciado no Ocidente e, ainda assim, essa ignorância é, em grande parte, um fenômeno moderno.

Dois mil anos antes da era catolicamente conhecida de Cristo, documentos históricos sugerem que as pessoas na Assíria estavam usando cannabis para “amarrar os templos” e aliviar a tensão na cabeça.

Na Grécia antiga, a droga continuava a ser usada para “dores de ouvido”, e os textos persas e árabes referem-se à cannabis como um tratamento para distúrbios de dor de cabeça. Mesmo na Idade Média, médicos proeminentes recomendavam a planta para aliviar a dor de cabeça.

Proibição e retrocesso

Centenas de anos depois, nos Estados Unidos, a cannabis entrou na era das trevas da pesquisa científica. Seguindo a Lei do Imposto sobre a Maconha de 1937, possuir ou traficar o material tornou-se ilegal, embora ainda fosse permitido para uso médico.

Tudo isso mudou na década de 1970, quando o ato foi revogado e substituído por uma nova lei que oficialmente proibiu seu uso para qualquer finalidade. Tudo isso significa que tem sido extremamente difícil estudar.

Sem os testes clínicos adequados, não está claro se algum derivado dessa planta pode funcionar para aliviar a dor de cabeça, mas muitos indivíduos estão usando a planta exatamente para isso. Certamente, os resultados iniciais dos testes pré-clínicos são promissores.

Em 2020, um teste de 30 dias nos Estados Unidos descobriu que mais de 86% dos pacientes com dores de cabeça e enxaquecas viram uma melhora em seus sintomas após o uso de cannabis. Outras pesquisas recentes na Califórnia sugerem que até 10 por cento das pessoas com distúrbios de dor de cabeça estão recorrendo à planta em busca de alívio.

Ainda assim, os auto-relatos e estudos de caso podem nos dar uma visão limitada. Sem um grupo de controle adequado, é difícil dizer se os efeitos terapêuticos da cannabis são uma resposta ao placebo ou algo mais.

O primeiro ensaio conhecido para resolver adequadamente este problema irá randomizar os voluntários em quatro grupos separados. Um grupo receberá um vapor com cannabis sham. Outro grupo levará quatro baforadas de flor de cannabis contendo THC. Um terceiro grupo vai dar quatro baforadas de flor de cannabis contendo CBD, e o último grupo vai vaporizar uma mistura de THC e CBD.

Os pesquisadores determinarão então qual tratamento é melhor para aliviar dores de cabeça, náuseas, vômitos e sensibilidade à luz ou som, tanto a longo como a curto prazo.

Allison Knigge é uma das primeiras a se voluntariar para o teste. Knigge tem enxaquecas agudas desde que era criança e, apesar de tentar vários medicamentos, nada ajudou até agora.

Quando ela foi abordada por Schuster sobre o julgamento da UCSD, ela estava perdida e disposta a tentar qualquer coisa. “Estou orgulhosa e grata por fazer parte de um estudo que pode levar a mais ferramentas na caixa de ferramentas para aqueles de nós que sofrem de enxaqueca”, disse Knigge.

“Isso pode significar mais uma opção quando todas as outras opções não funcionaram. Isso é realmente significativo para pacientes cujas vidas são perturbadas regularmente por enxaquecas.”

O estudo segue em andamento, financiado pela Migraine Research Foundation.

Publicidade

Fotos: Getty images


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.