Futuro

Advogados oriundos da USP criam projeto de estudo para pessoas que deixaram a prisão

Vitor Paiva - 28/06/2021 | Atualizada em - 29/06/2021

Estão abertas as inscrições para o processo seletivo do projeto Nova Rota, que oferece bolsas de estudo a ex-presidiários. Criado em 2020 por ex-alunos da Universidade de São Paulo (USP), o projeto busca oferecer caminho de reintegração social e oportunidade profissional a pessoas egressas do sistema carcerário. Compreendendo a “educação como trampolim para quebra de paradigmas e para a inclusão social” e funcionando sem fins lucrativos, o programa oferece, além das bolsas de estudo, mentorias, orientações profissionais, acompanhamento psicológico e apoio através das mais diversas disciplinas.

Programa Nova Rota

O programa selecionará três novos bolsistas para o segundo semestre © Facebook

-Conheça a melhor prisão do mundo, onde os presos são realmente tratados como pessoas

As bolsas de estudo financiadas oferecem oportunidades de estudo em cursos profissionalizantes, cursos técnicos, de idiomas, programas de graduação e preparatórios. A iniciativa é um meio de amenizar o problema da “baixa capilaridade e efetividade das políticas públicas voltadas à pessoa egressa e o pouco engajamento da sociedade civil no tema” que, de acordo com texto de apresentação no site do programa, contribui “para que a situação das pessoas egressas se torne um problema social grave e merecedor de atenção redobrada”.

Programa Nova Rota

Voluntários e bolsistas do programa reunidos © Facebook

-Ele decidiu ressocializar detentos de presídio na Grande SP ensinando crochê

Atualmente o programa, desenvolvido pelos advogados Leandro Félix e Vitor Jardim Barbosa, trabalha com nove bolsistas, e a previsão é de que três novas bolsas sejam oferecidas no segundo semestre – o processo seletivo é realizado duas vezes por ano, e a abertura das novas bolsas representa também a entrada seis a nove novos mentores no programa. Junto da bolsa de estudos e as mentorias, o Nova Rota também oferece suporte financeiro para alimentação e transporte, com a equipe disponível para todo tipo de suporte.

Presidiários em Minas Gerais produzem até 400 caixas de legumes por mês

Junto aos nove bolsistas atuais trabalham uma psicóloga supervisora e cerca de 50 pessoas voluntárias para acompanhamentos variados – os dois voluntários que acompanham cada ex-prisioneiro ou prisioneira oferecem contato constante, através do WhatsApp, além de encontros realizados a cada dois ou três meses. As inscrições para o novo processo seletivo começaram no dia 1º de junho e estão abertas até o dia 30 no site do programa Nova Rota – onde o edital com as regras do programa pode ser lido. A inscrição é feita através de um formulário, enviado junto de uma carta motivacional ao e-mail coordenacao@projetonovarota.org.

 

-Segunda chance: 1 a cada 3 funcionários desta empresa de pães orgânicos é ex-presidiário

“À pessoa egressa deve estar disponível a possibilidade de inserção social plena com garantia de respeito a seus direitos fundamentais, acesso à educação de qualidade e possibilidade de integrar o mercado de trabalho”, diz o texto, compreendendo a “educação como trampolim para quebra de paradigmas e para a inclusão social”. A seleção vai a uma segunda fase, na qual os selecionados passam por processos de entrevistas até a conclusão para seleção dos três próximos bolsistas.

Os advogados Leandro e Vitor, criadores do programa

Os advogados Leandro e Vitor, criadores do programa © USP

Publicidade

© fotos: créditos


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, Vitor Paiva é doutor em Literatura, Cultura e Contemporaneidade pela PUC-Rio. Autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores, publica artigos, ensaios e reportagens.