Futuro

China confirma 1º caso de gripe aviária em humano; risco de disseminação é baixo mas exige atenção

Vitor Paiva - 08/06/2021 | Atualizada em - 10/06/2021

Um homem de 41 anos da província de Jiangsu, ao leste da China, foi registrado como o primeiro caso da gripe aviária H10N3 em um ser humano. O caso foi confirmado pela Comissão Nacional de Saúde (CNH) no país, mas classificado como “acidental” e com risco muito baixo de se espalhar em grande escala e se tornar epidemia ou pandemia, segundo a comissão. O homem foi hospitalizado com febre e sintomas de gripe, mas já se recuperou e em breve deixará o hospital.

Home protegido com ave

A transmissão provavelmente se deu através de gotículas das aves ao paciente 

-China diz que controlou surto de coronavírus iniciado em tábua de cortar salmão em mercado

O diagnóstico do vírus H10N3 se deu no último dia 28 de maio, e as pessoas que tiveram contato com o homem foram rastreadas, examinadas e acompanhadas, mas nenhum outro caso de gripe aviária, segundo a CNH, foi diagnosticado. Os detalhes sobre a infecção não foram dados, mas as pesquisas afirmam que se trata de uma cepa do vírus com risco muito baixo de se espalhar – segundo Filip Claes, coordenador do laboratório regional da Organização para Alimentos e Agricultura na Ásia e no Pacífico, esse não é um vírus muito comum.

Mercado de aves na China

Os trabalhadores que lidam com aves são as vítimas em potencial da infecção

-A epidemia que criou a UTI e deu início ao uso dos ventiladores para respiração

De acordo com dados apresentados por Claes, até 2018 foram relatados somente 160 casos desde os últimos 40 anos. Análises genéticas do vírus irão determinar se o caso se assemelha a um vírus antigo, ou se trata-se de uma nova mistura, a partir dos muitos tipos de vírus de gripe aviária presentes na China. Normalmente os casos de infecção humana se dão justamente entre as pessoas que trabalham diretamente com aves, ainda que nenhum caso da nova cepa tenha sido registrado entre galinhas.

Homem trabalha em mercado de pássaros na China

Homem trabalha em mercado de pássaros na China

-Do coronavírus a gripe espanhola: as maiores pandemias da humanidade

Apesar das muitas variantes de vírus da gripe aviária, não houve no mundo um grande número de infecções depois do surto da cepa H7N9, que entre 2016 e 2017 matou cerca de 300 pessoas. Ainda que comprovadamente o risco de disseminação seja baixo, a CNH emitiu um alerta púbico pedindo que a população evite contato com aves doentes, e recomendando que os cuidados com higiene alimentar sejam rigorosos, e que se procure um médico em caso de febre, problemas respiratórios ou outros sintomas recorrentes.

Homem em mercado de pássaros na China

A exploração indevida e excessiva de animais pode ser a causa de uma próxima pandemia

Publicidade

© fotos: Getty Images


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, doutor em literatura pela PUC-Rio, publica artigos, ensaios e reportagens. É autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores.

Warning: file_put_contents(/var/www/html/wordpress/wp-content/themes/hypeness-new/functions/cache/twitter-stream-hypeness.txt): failed to open stream: Permission denied in /var/www/html/wordpress/wp-content/themes/hypeness-new/functions/social.php on line 410


X
Próxima notícia Hypeness:
STF valida lei que veta, no RJ, testes em animais para desenvolvimento de cosméticos