Arte

Filha de Bussunda fala de luto, piadas e revela nova série sobre o pai

Redação Hypeness - 15/06/2021

No próximo dia 17, o Brasil se entristece lembrando dos 15 anos da morte do comediante Cláudio Besserman Viana, o Bussunda, símbolo maior do ‘Casseta & Planeta’, um dos programas televisivos de humor mais populares do país durante os anos 90 e 2000.

– Netflix vai além do ‘ligue djá’ e discute gênero em premiado documentário sobre Walter Mercado

A Globoplay irá estrear um documentário em homenagem a Bussunda e a filha do humorista irá dirigir um dos episódios. Júlia Besserman, 27, é professora de storytelling e roteirista, mas a própria história da prematura morte de Bussunda, aos 43 anos, não havia sido revisitada pela cineasta. Mas agora, para ela, novas portas se abriram.

– Karol Conká chora com discurso de Lucas; doc teve recusas de Carla Diaz e Arcrebiano

“[A série] Me forçou a revisitar a relação que tinha com ele e com o trabalho dele. Essa coisa da praia e da miopia eu também não tinha juntado até o documentário. Ele era meu parceiro de praia e, depois que morreu, fiquei míope e não fui muito mais à praia. Não vou sozinha, preciso ter alguém para saber se está seguro, porque mal enxergo as ondas. Ver o legado que deixou e a escola com o nome dele (um colégio municipal em Rio das Pedras) também foi bom”, afirmou a O Globo.

A filha também mantém críticas ao humor do pai, muitas vezes machista e homofóbico. “Foi muito emocionante e catártico revisitar lembranças, separar fotos e vídeos. Eu não assistia ao programa desde sua morte. Relembrei personagens, piadas. A discussão sobre o humor dele era um debate que eu precisava ter comigo mesma para tentar entender um pouco melhor o trabalho do meu pai. Por isso coloquei no quarto episódio”, explicou.

– Sandy e Junior ganha documentário com material inédito para celebrar 30 anos de dupla

‘Meu amigo Bussunda’ estreia nessa sexta-feira (17) no Globoplay e também terá direção de outros dois camaradas do humorista. Claudio Manoel, também do Casseta, e Micael Langer, que dirigiu ‘Simonal: Ninguém Sabe o Duro que Dei’ e ‘Chacrinha – Eu vim para confundir e não para explicar’.

Publicidade

Fotos: Reprodução/Twitter


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Warning: file_put_contents(/var/www/html/wordpress/wp-content/themes/hypeness-new/functions/cache/twitter-stream-hypeness.txt): failed to open stream: Permission denied in /var/www/html/wordpress/wp-content/themes/hypeness-new/functions/social.php on line 410


X
Próxima notícia Hypeness:
Nei Lopes barrado como doutor honoris causa na UFRJ e o racismo à brasileira