Sustentabilidade

Indígenas preservaram bioma amazônico por 5 mil anos, diz estudo

Vitor Paiva - 17/06/2021 | Atualizada em - 21/06/2021

Não é de hoje que as populações nativas indígenas e os povos originários do Brasil são os melhores guardiões das florestas, da fauna e da flora local: um estudo liderado por cientista do Smithsonian Tropical Research Institute em Balboa, no Panamá, revelou que por mais de 5 mil anos os povos indígenas viveram na Amazônia em perfeita harmonia com a natureza – sem destruir biomas e “sem causar perdas ou distúrbios detectáveis de espécies”. Buscando evidências fósseis microscópicas em pesquisa nas mais diversas camadas do solo amazônico – voltando, assim, no tempo em milhares de anos – os cientistas não encontraram qualquer evidência de impacto humano sobre as florestas.

Amazônia peruana

A pesquisa funcionou como uma espécie de arqueologia botânica para determinar o passado da floresta

-Povos indígenas protegem e salvam as florestas segundo relatório da ONU

No estudo, liderado por Dolores Piperno, não foram apresentadas evidências de florestas “desmatadas, cultivadas ou de outra forma significativamente alteradas na Pré-História” – o estudo pode servir de base para estabelecimentos dos esforços modernos sobre a conservação e a possibilidade de se viver nas regiões preservando a biodiversidade da floresta. Segundo afirmou em reportagem para a BBC News, Piperno afirmou que a presença das populações originárias na região foi sustentável, sem provocar perdas ou impactos negativos sobre a fauna e a flora ao longo de milênios.

A pesquisadora Dolores Piperno

A pesquisadora Dolores Piperno © Smithsonian

-Desmatamento na Amazônia cresce 60% e especialistas temem ‘efeito Bolsonaro’

As escavações e datações realizadas no solo foram realizadas em três pontos na região nordeste do Peru, em partes próximas a rios e várzeas – as chamadas “zonas interfluvias”, que representam quase 90% do território amazônico – e praticamente nenhum indício de modificação humana, especialmente em detrimento ou destruição das matas, foi encontrado ao longo de 5 mil anos. Assim, um elemento importante que pode se desdobrar do estudo é a valorização do conhecimento dos povos indígenas a respeito de cultivos e da preservação da biodiversidade da floresta.

Floresta amazônica

A conclusão do estudo sugere uma relação milenar sustentável entre as populações e a floresta

-Garimpeiros avançam e desmatamento em terras indígenas aumenta 59% durante a pandemia

Segundo Piperno, a conclusão do estudo é inequívoca, mostrando como pode ser importante a participação dos povos indígenas e de seus conhecimentos para o estabelecimento, por exemplo, de um vasto plano de conservação da floresta amazônica. “Nossas informações confirmam pesquisas anteriores indicando que áreas consideráveis da tierra firme amazônica não foram impactados significativamente por atividades humanas durante a era pré-histórica”, diz o texto do estudo, que aponta a destruição da floresta e as queimadas como fenômeno que se inicia com a chegada europeia na região.

Floresta amazônica

O estudo foi realizado em pontos remotos da Amazônia peruana

-Tribo indígena amazônica cria enciclopédia de 500 páginas catalogando plantas e seus benefícios

“Aparentemente pelos últimos 5 mil anos as populações indígenas coexistiram e ajudaram a manter vastas áreas de floresta não modificada, como continuam a fazer hoje”, segue o texto. O estudo foi publicado na revista científica PNAS, e a reportagem da BBC News pode ser lida aqui.

Pescador em braço do rio Amazonas, no Peru

Os pontos estudados eram em sua maioria à beira de rios na região

Publicidade

© fotos: Getty Images/créditos


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, Vitor Paiva é mestre e doutor em Literatura, Cultura e Contemporaneidade pela PUC-Rio. Publica artigos, ensaios e reportagens, é autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Espinafre é segredo para uma vida longa e saudável, apontam estudos