Inspiração

Parada LGBT: fotos mostram como foram as primeiras edições da marcha em NY

Vitor Paiva - 11/06/2021 | Atualizada em - 15/06/2021

A Parada LGBT+ como conhecemos hoje tem suas origens diretas em Nova York, em 1970, quando a primeira marcha, então intitulada Christopher Street Celebration Day, caminhou para marcar um ano das revoltas de Stonewall, ocorridas em 28 de junho de 1969, na cidade. Desde então, as celebrações ganharam o tema do orgulho, tornaram-se globais e se unificaram no dia 28 de junho em todo o mundo como uma das mais pungentes, importantes e massificadas manifestações políticas da modernidade.

Bandeira da liberação gay na primeira parada gay, em 1970

Bandeira da liberação gay na primeira parada, em 1970

-Parada LGBT+ por quem a acompanha desde os 11 anos: ‘Meu camarote era a banca do meu pai’

Em celebração à força das tantas marchas do orgulho LGBTQIA+, a revista do museu Smithsonian reuniu algumas fotos das primeiras edições da marcha, ainda na década de 1970 – e que ilustram essa matéria. Inclusivas e afirmativas, as paradas ocorreram no primeiro ano, além de Nova York, em Chicago, São Francisco, Los Angeles, Boston e outras grandes cidades dos EUA – reunindo militantes, participantes, mas também grupos de pais e parentes de homossexuais que aderiram orgulhosamente ao movimento.

A primeira parada de Boston, também em 1970

A primeira parada de Boston, também em 1970

A parada da Christopher Street Gay Liberation Day marchando por Nova York em 1971

A parada da Christopher Street Gay Liberation Day marchando por Nova York em 1971

-Viúva de Marielle dá início à Parada LGBT com discurso de arrepiar

Diferentemente de manifestações afirmativas anteriores, que pregavam a sobriedade e uma postura discreta entre os participantes, a partir de 1970 as marchas iniciaram uma nova era – com alegria, demonstrações de afeto e amor, orgulho e afirmação não só liberadas, mas também vistas como armas de segurança, inclusão e convocação. No Brasil a primeira grande manifestação equivalente só ocorreria 27 anos depois, em 1997, com a primeira Parada do Orgulho LGBT de São Paulo, reunindo cerca de 2 mil pessoas.

Cartazes da causa lésbica na parada em Nova York em 1971

Cartazes da causa lésbica na parada em Nova York em 1971

-Como e porque nasceu a bandeira arco-íris do movimento LGBTQ+. E o que Harvey Milk tem a ver com isso

Hoje, em compensação, ela é reconhecida como uma das maiores em tamanho do mundo, e o segundo evento que mais atrai turistas no Brasil, perdendo somente para o carnaval do Rio – segundo o Guinness, em 2006 as 2,5 milhões de pessoas que marcharam por São Paulo confirmaram a Parada paulista como a maior do mundo.

As revoltas de Stonewall

O principal nome por trás da organização da primeira edição da parada, em 1970 na cidade de Nova York, é a ativista Brenda Howard, que reuniu algumas centenas de pessoas para marcharem por cerca de 15 blocos de Nova York e lembrarem os ataques policiais contra o bar Stonewall Inn, ocorridos em 28 de junho de 1969. O bar era receptivo às populações LGBTQIA+ da cidade, e nesse dia os presentes enfrentaram a polícia em seu ataque motivado exclusivamente pela homofobia e o preconceito.

Um casal na parada da Christopher Street Gay Liberation Day em Nova York em 1971

Um casal na parada da Christopher Street Gay Liberation Day em Nova York em 1971

-‘Parada do Orgulho LGBTQIA+’ de NY bane presença da polícia até 2025

A partir de então, as chamadas “Revoltas de Stonewall” se tornaram um marco da luta da comunidade contra o preconceito e a perseguição – em Nova York e em todo o mundo.

Um grupo marchando na parada de Nova York em 1971

Um grupo marchando na parada de Nova York em 1971

Mães e pais orgulhosos de seus filhos homossexuais na parada de Nova York em 1973

Mães e pais orgulhosos de seus filhos homossexuais na parada de Nova York em 1973

Publicidade

© fotos: Getty Images/Smithsonian


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, doutor em literatura pela PUC-Rio, publica artigos, ensaios e reportagens. É autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores.

Warning: file_put_contents(/var/www/html/wordpress/wp-content/themes/hypeness-new/functions/cache/twitter-stream-hypeness.txt): failed to open stream: Permission denied in /var/www/html/wordpress/wp-content/themes/hypeness-new/functions/social.php on line 410


X
Próxima notícia Hypeness:
Bolsista dá dicas para processo seletivo em universidades estrangeiras