Debate

Pesquisa relaciona truculência policial e raça: 85% das pessoas abordadas são negras

Redação Hypeness - 22/06/2021


Em parceria com o Instituto de Defesa do Direito de Defesa (IDDD), o Data Labe, laboratório de informações e narrativas do Complexo da Maré, obteve um dado que evidencia o racismo no nosso país: 85% das pessoas que já sofreram abordagens da polícia são negras.

– iPhone tem atalho que pode combater violência policial: ‘Ei Siri, tô tomando um enquadro’

A campanha-pesquisa ‘Por que eu?’ busca jogar luz sobre a escuridão dos dados sobre a truculência policial no país: sem dados sobre as abordagens das polícias do Brasil, o Data Labe e o IDDD decidiram coletar essas informações com a população para entender a realidade estatística das abordagens.

Pesquisa revela que as abordagens policiais tem como principais alvos os jovens negros, que também são as maiores vítimas da violência da PM

“Não há na base da polícia dados de abordagem policial. Então a ideia é realmente discutir, sair do imagético. Construir dados para discutir como a raça interfere nas abordagens policiais. Nós sempre dizemos que isso acontece, agora mostraremos os dados”, explica a cientista de dados do Data Labe Samantha Reis.

– Jovem negro denuncia violência da Polícia Militar com ensaio fotográfico poderoso

Então, o Data Labe rodou um questionário para a população: foram 1761 respostas com garantia de anonimato que exibiram a face do racismo no Brasil: 85% dos abordados pela polícia são negros e 55% são homens. “É bem interessante como a figura da pessoa negra é lida como um medo social, um perigo pela polícia”, completa Samantha

Racismo: população luta contra a truculência policial contra pretos no Brasil

“Os dados compilados estabelecem um padrão muito simples: jovens negros são abordados indistintivamente. Além disso, mostram que o tratamento recebido é muito mais violento e opressor quando comparado às respostas das pessoas autodeclaradas brancas. Esse mapeamento ocupa um lugar que é deixado propositalmente vazio pela polícia. O estado, não divulgando seus dados sobre abordagens, reproduz sua conduta: a subjetividade.”, comenta o coordenador do Data Labe Paulo Mota.

– Jacarezinho é alvo de massacre policial em chacina mais letal da história do RJ

“A polícia já tem o jovem negro como suspeito e por isso o abordam mais e mais violentamente. Então os dados pressionam para que haja critérios claros e documentação pertinente para cada abordagem, em acordo com a decisão da corte interamericana em caso apresentado pelo IDDD. Assim, os dados vão encorpar defesas, ações no Ministério Público para pressionar por critérios mais claros de abordagens e assim frear a ação racista da polícia”, completa.

Confira um vídeo da campanha-pesquisa:


Samantha Reis, que participou da elaboração da pesquisa, vai dar uma palestra no festival Social Good Brasil falando sobre como o uso de dados pode ser transformador. No dia 24 de junho, das 19h às 21h30, a Samantha vai compartilhar um pouco da sua experiência no SGB 365. O evento é gratuito e mostra como a informação pode ser transformadora para a nossa realidade.

Publicidade


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.


Warning: file_put_contents(/var/www/html/wordpress/wp-content/themes/hypeness-new/functions/cache/twitter-stream-hypeness.txt): failed to open stream: Permission denied in /var/www/html/wordpress/wp-content/themes/hypeness-new/functions/social.php on line 410


X
Próxima notícia Hypeness:
Funcionária que viajou depois de pedir de isolamento domiciliar é demitida por justa causa