Debate

Povo Xakriabá teve escola e casa de medicina tradicional destruídas; suspeita é de incêndio criminoso

Redação Hypeness - 25/06/2021


A aldeia do povo Xakriabá, em São João das Missões (MG), foi vítima de um incêndio na última quinta-feira (24). Uma escola e uma casa de medicina foram destruídas e a polícia suspeita de que se trata de um incêndio criminoso.

– PL 490 quer fim de demarcação e terras indígenas para o garimpo; entenda retrocesso

Incêndio em escola indígena ocorre no mesmo dia da votação do PL 490/2019, que reduz direitos dos povos indígenas, na Comissão de Constituição de Justiça na Câmara dos Deputados

A Escola Estadual Indígena Xukurank foi destruída e passou por perícia. Nenhuma pessoa ficou ferida durante o crime.

– Garimpeiros avançam e desmatamento em terras indígenas aumenta 59% durante a pandemia

“Foi colocado fogo criminalmente e todos os arquivos da história da nossa escola foram queimados. Além dos arquivos da secretaria, queimou todos os computadores e a nossa casa de medicina, que é uma das principais casas que a gente tem da medicina tradicional, no qual estamos sempre lutando para preservar”, afirma o cacique Domingo Nunes, líder do povo Xakriabá, ao G1.

Um dia antes do incêndio, os indígenas fecharam durante cinco horas a BR-135, entre São João das Missões e Manga, em protesto contra o PL 490/2019, que, na prática, reduz a existência das Terras Indígenas demarcadas e permite exploração de garimpeiros nessas regiões.

“Foi um crime bárbaro contra todo o nosso povo, contra a nossa educação. A gente espera que a justiça possa tomar as providencias e chegar aos autores que praticou esse crime tão bárbaro”, desabafou o cacique.

– Demarcação de terras indígenas e quilombolas vai para Ministério da Agricultura e fica em situação nebulosa

Confira o vídeo do incêndio:


“Tudo indica que foi um ato criminoso. Como autoridade do município, eu exijo que seja feito um processo de investigação. Se ficar comprovado, que o criminoso pague pelos seus atos”, afirmou o prefeito de São João das Missões, Prefeito Jair Cavalcante Barbosa, ao G1.

“A Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) auxilia nas investigações, já que a competência para investigar crimes desta natureza (cometidos contra as comunidades indígenas) é da Polícia Federal (PF). Em colaboração aos trabalhos investigativos, a Polícia Civil deslocou equipe da perícia criminal de Montes Claros ao local, onde o perito realiza todos os exames necessários. Assim que o laudo pericial estiver concluído, a PCMG enviará à PF”, destacou a Polícia Civil de Minas Gerais.

Publicidade

Fotos: Polícia Militar de Minas Gerais


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
SP gasta R$ 400 mil com fuzis para GCM e Padre Julio Lancellotti classifica ato como ‘desumano’