Debate

Rafael Ilha e esposa são condenados por tráfico de armas; defesa contesta

Redação Hypeness - 25/06/2021

Rafael Ilha, ex-membro da boy band Polegar e campeão do reality show “A Fazenda” em 2018, foi condenado por tráfico de armas junto de sua esposa, Aline Kezh Felgueira. A decisão é da pela 8ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4).

Em 2014, Rafael e Aline foram interceptados na Ponte da Amizade em Foz do Iguaçu, fronteira do Brasil com o Paraguai, carregando uma espingarda calibre 12 e 50 cartuchos de munição para a arma de fogo.

– PF divulga aumento de oito vezes no registro diário de armas em dois anos

Rafael Ilha trouxe uma espingarda calibre 12 ao Brasil sem documentação e foi condenado por tráfico de armas

Rafael Ilha afirmou que a arma sem registro era para uso pessoal, que pagou R$ 2,5 mil e que não desejava traficar a espingarda calibre 12. O Ministério Público Federal enxergou o caso de outra forma e denunciou o ex-Polegar pelo crime.

– Massacre em escola levou Grã-Bretanha a proibir armas em 1997

Após o trâmite, o cantor foi condenado a 2 anos, 10 meses e 20 dias de prisão e sua esposa deve cumprir pena 2 anos e 8 meses.

“A autoria delitiva é inequívoca, recaindo sobre os réus, pois os mesmos confessaram que a arma e as munições foram encontradas em poder de Aline Kezh Felgueira (a ré), enquanto o réu Rafael Ilha Alves Pereira, na mesma circunstância de tempo e lugar, apresentou-se como sendo o proprietário e responsável pelos objetos ilícitos apreendidos”, afirmou o Desembargador federal Carlos Eduardo Thompson Flores Lenz, relator do caso, no julgamento.

– Número de armas deve triplicar no Brasil em 4 anos

A defesa de Rafael Ilha negra e diz que irá embargar a decisão.

“O Tribunal Regional Federal, os desembargadores, por dois a um, foi desclassificado a infração para tentativa de possível tráfico de armas e nós, agora, estamos recorrendo a essa punição. É meramente de dois anos em regime aberto, ou seja, não têm que se apresentarem à justiça, não serão enclausurados, não ficarão também sobre qualquer regime domiciliar e nem portarão tornozeleira eletrônica, de modo que hoje, mesmo nós, só estamos esperando publicar o venerando acórdão, ou seja, decisão daquela corte. Iremos embargar”, afirmou o advogado de Ilha, José Beraldo, ao NaTelinha, do UOL.

Publicidade

Fotos: Reprodução/Instagram


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.