Futuro

STF valida lei que veta, no RJ, testes em animais para desenvolvimento de cosméticos

Redação Hypeness - 01/06/2021

O Supremo Tribunal Federal validou lei do estado do Rio de Janeiro que proíbe o teste em animais para o desenvolvimento de produtos cosméticos. A decisão do Supremo foi confirmada na quinta-feira (27), por 11 votos a 1, e inclui produtos de higiene pessoal, perfumes e itens de limpeza. 

O STF decidiu, por seis votos a cinco, não proibir a comercialização dos itens de beleza que utilizam animais em testes, já que cabe à União tal parecer. Gilmar Mendes foi o relator da lei 7814/17, do estado do Rio de Janeiro. 

– Animação denuncia o impacto devastador dos testes em animais

Gilmar Mendes foi o relator da ação contra testes em animais

“Proibição de testes em animais não afronta a Constituição. Entretanto, a comercialização e a rotulagem dos produtos testados em animais afrontam a Constituição. A vedação imposta genericamente a todo e qualquer produto no estado do Rio de Janeiro, sem a distinção de sua respectiva origem, parece invadir a própria competência da União para legislar sobre comércio interestadual”, afirmou Mendes.

– China anuncia fim de testes em animais na indústria cosmética

O texto da lei “proíbe a utilização de animais para desenvolvimento, experimentos e testes de produtos cosméticos, higiene pessoal, perfumes, limpeza e seus componentes, no âmbito do Estado do Rio de Janeiro, sem prejuízo de proibições e sanções previstas em outros dispositivos legais: municipal, estadual ou Federal”.

Entidades lutam há anos contra testes em animais

A ação, que contesta a constitucionalidade da lei, foi ajuizada pela Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (Abihpec). O argumento da instituição defensora do interesse da indústria dos cosméticos é que essa proibição não é de competência estadual, mas diz respeito à União.

– A luta de uma rede de cosméticos para acabar com os testes em animais na indústria

O pedido da Abihpec afirma que a Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro usurpou a competência da União – ou seja, Congresso Nacional e Executivo – de legislar sobre e criar normas gerais sobre fauna, conservação da natureza e proteção do meio ambiente.

Em 2020, um pedido similar da Abihpec foi julgado na corte. No caso, a associação lutava contra a proibição que foi estabelecida no Estado do Amazonas. Em votação unânime, os ministros do STF deram causa para o legislativo amazonense.

Publicidade

Fotos: foto 1: José Cruz/ABr/foto 2: Getty Images


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Warning: file_put_contents(/var/www/html/wordpress/wp-content/themes/hypeness-new/functions/cache/twitter-stream-hypeness.txt): failed to open stream: Permission denied in /var/www/html/wordpress/wp-content/themes/hypeness-new/functions/social.php on line 410


X
Próxima notícia Hypeness:
Finlândia está perto de não ter mais ninguém em situação de rua dando teto a quem precisa