Debate

África do Sul: mãe joga bebê de prédio em chamas em meio ao caos por prisão de ex-presidente

Redação Hypeness - 15/07/2021

Assim como Cuba, Brasil, Colômbia e França, a África do Sul passa por grandes manifestações de rua instigadas por uma profunda crise política que se alastra no país. Durante um protesto violento em Durban, uma mãe jogou seu bebê de um prédio em chamas para tentar salvá-lo de um incêndio.

– Nelson Mandela organizou greve política negra que virou ‘Dia da Liberdade’ na África do Sul

Mulher teve de jogar filho de prédio em chamas para se salvar de incêndio em Durban

Confira imagens:

Prisão de ex-presidente 

O país enfrenta grave crise política após um racha ocorrer no cerne do Congresso Nacional Africano (CNA), partido que governa a África do Sul desde 1994. Uma disputa pelo controle do governo entre Jacob Zuma, ex-presidente sul-africano acusado de crimes de corrupção, e Cyril Ramaphosa, atual chefe de estado da nação, causa instabilidade política e manifestações em todo o território nacional.

– District Six: a incrível (e terrível) história do bairro boêmio e LGBTQI+ destruído pelo apartheid na África do Sul 

Zuma foi um dos companheiros de Nelson Mandela durante o processo de luta contra o apartheid e é considerado um líder histórico do país. Ele é acusado de favorecer os negócios dos irmãos Gupta, uma família de empresários sul-africanos de ascendência indiana que tem grande influência na política local.

Ex-presidente Jacob Zuma está preso

Defensores de Zuma foram às ruas para retaliar a sentença de 15 meses de prisão contra o ex-presidente, enquanto manifestantes pró-Ramaphosa também se manifestaram publicamente. As manifestações pró-Zuma afirmam que existe um caso de perseguição política contra o líder da libertação sul-africana.

Autoridades de Botswana já recomendaram que seus cidadãos se mantenham longe das grandes cidades da África do Sul.

– África do Sul quer reforma agrária para devolver terras confiscadas de negros durante o Apartheid 

A repressão policial do governo Ramaphosa levou à morte de 72 pessoas. São os protestos mais violentos da história do país desde os levantes de Soweto, em 1976, que 176 pessoas foram assassinadas por se revoltar contra o sistema de segregação na África do Sul.

Publicidade

Fotos: foto 1: Reprodução/Youtube/foto 2: Getty Images


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Joice Hasselmann usou remédio associado com casos de apagão de memória