Sustentabilidade

Ararinhas-azuis ameaçadas pela construção de parque eólico na Bahia

Gabryella Garcia - 27/07/2021

Uma decisão do Ministério Público da Bahia (MP-BA) pode salvar o habitat das ararinhas-azuis, em Canudos, na caatinga baiana. Um parque eólico seria instalado no local e o órgão, além de recomendar a suspensão da instalação do parque, também instaurou um inquérito civil. Popularmente conhecida como ararinha-azul, a arara-azul-de-lear é considerada uma ave em perigo de extinção.

Brasil recebe 50 filhotes de araras-azuis e breca extinção de 20 anos

A recomendação do Ministério Público, que foi expedida no último dia 19 de julho, afirma que a instalação do parque pode causar impactos irreversíveis para a fauna da região e também para as comunidades tradicionais. Ela foi direcionada ao Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos da Bahia (Inema) e à empresa responsável pelo parque, a Voltalia Energia do Brasil Ltda. Além disso, também foram solicitadas diligências ao Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio).

arara-azul bahia

Na área onde o complexo eólico será instalado habitam 11 comunidades, com aproximadamente 600 famílias que não foram ouvidas sobre o empreendimento e, por isso, o MP-BA recomendou a suspensão ou anulação da licença ambiental do parque ao Inema e que a empresa deixe de realizar medidas para implantação do empreendimento até que os problemas sejam resolvidos.

Além do impacto às comunidades, o Ministério Público apontou que a área é indispensável para a ararinha-azul, que é considera um símbolo da região, e também é uma área de rotas e concentração de aves migratórias no Brasil.

Bióloga que em 30 anos livrou Arara Azul da extinção concorre a prêmio

Por meio de uma nota enviada ao G1, a Voltalia Energia do Brasil Ltda afirmou que possui todas as licenças necessárias para a fase atual do projeto, que segue rigorosamente a legislação brasileira e que o documento enviado pelo MP-BA está sendo avaliado pelo departamento jurídico e será respondido dentro do prazo.

Abaixo-assinado

Náthaly Marcon, uma estudante de auxiliar veterinário de 18 anos e ativista da causa animal, criou um abaixo-assinado contra a obra. No documento ela destaca que serão instaladas 81 turbinas eólicas no local.

arara-azul Bahia

Ainda de acordo com a ativista, o novo parque irá contar com uma rede de transmissão de 50 Km que chegará até o município de Jeremoabo, distante 91 km de Canudos. Até o momento a petição contra o empreendimento já conta com mais de 55 mil assinaturas.

Publicidade

Fotos: Getty Images


Gabryella Garcia
Gabryella Garcia é paulista, mulher trans, transfeminista e jornalista pela Unesp. Começou a carreira escrevendo horóscopos para o João Bidu e agora foca em escrever sobre direitos humanos e recortes de gênero. Já passou por veículos de São Paulo, Santa Catarina, Espírito Santo e também colaborou para veículos como Ponte Jornalismo, Congresso em Foco e Elle Brasil. Atualmente, além de produzir o podcast "Prosa", para o Hypeness, também colabora com o UOL. Além disso atua como voluntário no Projeto Transpor, um projeto que oferece consultoria profissional gratuita para pessoas transgêneros com montagem de um currículo assertivo, Linkedin e simulação de entrevistas de emprego.