Debate

Cuba passa por onda de protestos inédita em meio à pandemia. O que está acontecendo na ilha

Yuri Ferreira - 14/07/2021 | Atualizada em - 16/07/2021

Assim como Brasil, Haiti, França e Colômbia, Cuba passa por uma onda de protestos em 2021. As graves consequências da pandemia na economia cubana e uma parcela da população que se opõe ao governo do Partido Comunista Cubano levou milhares de pessoas às ruas de Havana.

– Cuba e o movimento de libertação africana se encontram na arte; entenda 

Sempre que falamos da economia cubana, temos que falar sobre o embargo econômico imposto pelos EUA contra o país. Resumidamente, a maior economia do mundo sanciona países que realizem comércio com Cuba e, resumidamente, impede que empresas que tenham negócios nos EUA realizem comércio com a ilha caribenha.

Miguel Díaz-Canel, presidente cubano, afirmou que manifestações servem aos interesses dos EUA; gestão Biden apoiou atos contra o governo socialista

Com exceção dos EUA, somente Palau, Israel e as Ilhas Marshall são a favor do embargo econômico do império aos cubanos. O embargo foi atenuado durante os anos Obama, mas voltou a operar a todo vapor na gestão de Donald Trump.

Vale lembrar que o comércio entre países não é uma prática capitalista. O comércio exterior data de antes do Império Romano, bem antes do surgimento do capitalismo.

Com a pandemia, Cuba teve grande dificuldade em manter sua economia andando: dependente do turismo para financiar o sistema econômico no país, os cubanos viram sua principal fonte de renda acabando. A redução das exportações acabou prejudicando ainda mais a já prejudicada economia cubana. Com uma inflação acima da média e aumento dos custos do petróleo na ilha, o custo de vida aumentou e a pobreza aumentou no país.

– Cuba experimenta dois lados da moeda com chegada de internet móvel 

O governo Miguel Díaz-Canel realizou inclusive uma reforma monetária acabando com o sistema de duas moedas para tentar retomar as exportações, mas a política ainda não trouxe o efeito desejado na economia.

Além disso, a demora para a vacinação da população também é um problema. Cuba desenvolveu mais de cinco vacinas contra a covid-19, mas somente 26% da população recebeu a vacina até então.

À título de comparação, Cuba tem população e demografia similar ao do estado de Ohio, nos EUA. O país caribenho teve, até hoje, 1608 mortes por covid-19. O estado dos EUA teve 20 mil mortes causadas pela doença. Portugal também serve de comparação: possui população e densidade similar. Foram 17 mil óbitos causados por coronavírus no país europeu.

Manifestações contra o governo cubano foram realizadas na Flórida, em Nova Iorque e na Espanha; atos pró-Cuba foram realizados na Venezuela e nos EUA

Com o recente aumento no número de casos e sem mudanças no ritmo de vacinação da população, protestos foram convocados em Havana. O número de manifestantes é impreciso; sabe-se que foram milhares de pessoas. Há vídeos de supermercados sendo saqueados e repressão da polícia. São centenas de presos e pelo menos uma pessoa morta nas manifestações.

– Save the Children indica Cuba como melhor país para ser menina na América Latina 

O Partido Comunista Cubano convocou atos pró-governo em Havana. Outros milhares de cubanos foram às ruas para tentar defender o governo.

O governo acusa os manifestantes de servirem aos interesses estrangeiros e reitera que o momento deve ser de ‘unidade nacional’. Os EUA e seus aliados – como a Colômbia, que passou por três meses de caos social nesse ano – manifestaram apoio aos atos anticomunistas.

 

Publicidade

Fotos: Getty Images


Yuri Ferreira
Jornalista formado na Escola de Jornalismo da Énois. Já publicou em veículos como The Guardian, UOL, The Intercept, VICE, Carta e hoje escreve aqui no Hypeness.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.