Debate

Entregador é humilhado por sócio de restaurante: ‘Pago R$ 140 mil de aluguel para motoboy sentar aqui’

Redação Hypeness - 20/07/2021

Um motoboy foi alvo de agressões preconceituosas do sócio de um restaurante localizado no ParkShopping, em Brasília. O entregador ouviu poucas e boas do homem por simplesmente utilizar uma das tomadas do estabelecimento. 

O caso foi filmado e viralizou com o debate sobre preconceito de classe, algo ainda comum no Brasil. “Pago R$ 140 mil de aluguel para motoboy sentar aqui?”, disse o sócio do restaurante Abbraccio. 

Leia também: Fotos de entregadores em quarentena italiana para refletir sobre racismo e colonização

Confira o vídeo: 

Leia também: Rappi propôs vacinação contra covid apenas em entregadores que mais trabalham

O profissional alvo do preconceito se chama Everton Santos Silva. Ele contou ao G1 que estava em uma área do restaurante apelidada de “doca”, usada como ponto de apoio e descanso para os entregadores entre um pedido e outro.

Everton diz que esperou o pedido ficar pronto por cerca de 30 minutos. Preocupado com a bateria do celular, instrumento fundamental para o trabalho de um motoboy, ele resolveu dar uma carga rápida. Foi quando um dos sócios do restaurante destratou o motoboy que estava sentado esperando. 

“Ele começou a falar que não era pra usar a tomada e se exaltar. A gente se sente humilhado, né?”, comentou o entregador, que contou ainda já ter reclamado do atraso na preparação dos pedidos da Abbraccio em outra ocasião.

Em nota enviada ao G1, a Bloomin’Brands, grupo detentor da marca Abbraccio, declarou que o caso está sendo apurado e que afastou o sócio apontado no vídeo. Leia a nota ao final da matéria. 

O ParkShopping confirmou que o espaço é usado por entregadores e publicou uma nota afirmando que lamenta o ocorrido. “Respeitamos todos os públicos e prezamos pela boa convivência e relacionamento cordial entre lojistas, colaboradores, prestadores de serviço, clientes e todos que circulam e trabalham no shopping”, diz o  comunicado.

Fachada do Abbraccio do ParkShopping em Brasília

Não esquecemos: Entregador da Rappi que morreu após AVC trabalhava 12 horas por dia

Leia a nota do Abbraccio na íntegra: 

“Agradecemos a oportunidade de esclarecer o ocorrido. Nós, da Bloomin’ Brands, grupo detentor da marca Abbraccio, informamos que o que é retratado no vídeo não condiz com a nossa relação com os profissionais de entrega.

Lamentamos o ocorrido. Informamos também o sócio do restaurante foi afastado para que possamos apurar todos os pontos e refazer o processo de orientação do trabalho com os entregadores locais. Estamos no Brasil há 23 anos e temos um relacionamento genuíno com as nossas pessoas e os fornecedores que trabalham conosco. 

Nada justifica o desalinhamento com nossos procedimentos e já iniciamos a reorientação de todo o time do restaurante em relação à nossa filosofia para que situações como esta não voltem a acontecer.

Para nós, é muito importante reforçar que temos uma relação de respeito e profissionalismo com todos os motoboys responsáveis pela logística do nosso delivery e isso se reflete no dia a dia com o atendimento de milhares de pedidos todos os meses em todas as cidades onde estamos presentes”. 

Publicidade

Foto: foto 1: Reprodução/foto 2: Divulgação/ParkShopping


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Walkyria Santos desabafa e diz que filho se suicidou por discurso de ódio na internet