Inspiração

Galvão Bueno não se aguenta e quase ‘infarta’ em narração da prata de Rebeca Andrade

Redação Hypeness - 29/07/2021

Galvão Bueno não conteve a emoção ao presenciar a conquista da ginasta Rebeca Andrade, que levou a medalha de prata na final individual geral feminina na ginástica artística nesta quinta (27), nos Jogos Olímpicos de Tóquio.

A reação do narrador acabou lembrando outros momentos de glória do Brasil, do ponto de vista do veterano da Rede Globo, é claro. “É prata, é prata, é prata”, o narrador repetia ao vivo, quando viu a nota que garantia o pódio da ginasta. 

A reação de Galvão representa todos os brasileiros torcendo por Rebeca

– Olimpíada veta touca para cabelo afro e justificativa flerta com racismo

A repetição de Galvão lembrou a reação que ele teve na final da Copa do Mundo de 1994 ao anunciar que o Brasil era tetracampeão de futebol. Para quem não lembra, dá uma olhada no vídeo: 

– Ginasta brasileiro nas Olimpíadas, Arthur Nory volta a falar sobre caso de racismo: ‘Errei e assumi’

Tão emocionado quanto aos 27 anos, o narrador continuou o discurso, falando sobre Rebeca: “Saiu a medalha! Vivemos todos para vermos isso, depois de tantas Olimpíadas esperando por esse momento. Que momento especial dessa menina! Não sei se tenho mais idade para isso”, disse Galvão, que está em sua nona Olimpíada.

A espera a qual ele se referiu era pelo pódio da ginástica feminina brasileira, que já se consagrou campeã em diversas competições – incluindo o mundial, com Daniele Hypólito, Daiane dos Santos, Laís Souza e Jade Barbosa – mas ainda não tinha uma medalha nos tradicionais Jogos Olímpicos. 

– Mais de 40 ginastas acusam ex-técnico da seleção brasileira de abuso sexual

Lenda na modalidade, Daiane dos Santos acompanhou Galvão como comentarista na transmissão da Rede Globo e também não conteve a emoção. A emissora mostrou ela e o apresentador chorando diante do resultado de Rebecca: “Essa prata vale ouro. Rebeca escreveu seu nome na história do esporte”, disse a veterana. 

– Ginastas da Alemanha se apresentam nas Olimpíadas de calça contra sexualização

Rebeca dedicou a medalha de prata as ginasticas que vieram antes dela

Baile da Rebeca

Foi ao som de “Baile de Favela”, funk de Mc João, que a ginasta Rebeca, de 22 anos, se tornou a primeira brasileira a conquistar uma medalha na ginástica artística dos Jogos Olímpicos. Na pontuação, ela ficou só atrás da americana Sunisa Lee, enquanto o bronze ficou para a russa Angelina Melnikova. 

– Com 25 medalhas, Simone Biles dá um bico no racismo e entra para história

Rebeca ficou a, literalmente, a um passo do ouro. Em uma das aterrissagens de sua apresentação solo, deixou escapar um pé para fora da linha do tatame da apresentação, o que custou décimos de pontos – nada disso tornou a apresentação da brasileira menos marcante. 

Saiba mais sobre a conquista: Rebeca Andrade vence 1ª medalha olímpica da ginástica feminina com ‘Baile de Favela’ e celebra mulher negra

Sim, o hino que tocou no pódio foi o dos Estados Unidos, mas “Baile de Favela” ainda é o que ecoava no estádio. A música levantou até mesmo a grande campeã das últimas olimpíadas na modalidade, Simone Biles. 

Publicidade

Foto 1: Getty Images
Foto 2: Reprodução / TV Globo
Foto 3: Getty Images


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.