Inovação

Mulher entra em farmácia com ‘X’ na mão e consegue denunciar companheiro

Redação Hypeness - 05/07/2021

Uma mulher foi até uma farmácia com um ‘X’ pintado de vermelho nas mãos para denunciar ameaças do companheiro. O caso aconteceu na última sexta-feira (2), em Santa Catarina. 

A vítima tem cerca de 40 anos e disse à polícia que é alvo, ao lado da filha de 10 anos, de ameaças do homem. Ele foi até a farmácia com as duas, mas ficou dentro do carro. O funcionário da farmácia de Rio dos Cedros, no Vale do Itajaí, entendeu o sinal representado pelo ‘X’ pintado de vermelho e chamou a polícia. 

O alvo das denúncias suspeitou do movimento dentro da farmácia e conseguiu fugir. A polícia encontrou na casa dele uma arma e munição. A vítima e sua filha estão sob medida protetiva, informou a Polícia Civil. 

Leia também: Mapa do acolhimento: ação coletiva responde a aumento de violência doméstica na quarentena

A violência contra a mulher cresceu na pandemia

‘Sinal vermelho’

O  gesto feito pela mulher de Santa Catarina para denunciar ameaças e possíveis agressões segue cartilha da campanha “Sinal Vermelho”. Lançado em 2020, o programa ligado ao Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e à Associação de Magistrados Brasileiros (AMB) cadastrou cerca de 10 mil farmácias para receber este tipo de denúncia. 

O CNJ orienta farmácias interessadas a preencherem um formulário com informações básicas. Gilcilene Chaer, presidente do CRF-DF, explicou ao G1, que as farmácias foram um dos poucos estabelecimentos comerciais que não fecharam ao longo da pandemia. 

“Durante a pandemia, as farmácias foram um dos estabelecimentos que não fecharam as portas. Nosso objetivo agora é incentivar as denúncias”, ressaltou. 

O isolamento provocado pela pandemia da covid-19 aumentou a insegurança entre mulheres. Conviver entre quatro paredes com um agressor em potencial fez aumentar e muito os registros de violência doméstica no Brasil. 

A campanha conta com cerca de 10 mil farmácias cadastradas

O Fórum Brasileiro de Segurança Pública mostra que uma em cada quatro mulheres sofreu algum tipo de violência durante a pandemia no país. O levantamento realizado pelo Datafolha aponta aumento de 42% para 48,8% nos casos em comparação com a pesquisa anterior. 

Em São Paulo, uma mulher ligou para a polícia pedindo uma pizza. Em 90% dos casos, provavelmente, o telefonema seria visto como trote. Mas não foi. Isso porque os policiais entenderam que se tratava de uma vítima de violência doméstica pedindo por socorro.

A mulher, de 54 anos, moradora do município de Andradina (SP), ligou para os policiais pedindo uma pizza. O cabo do Comando de Policiamento do Interior (COPOM) de Araçatuba identificou que a ligação poderia se referir a uma mulher em situação de violência doméstica. Após enviar as viaturas para o local, foi confirmado que se tratava de um caso de violência de gênero.

Acesse o link para denunciar casos de violência doméstica. Ou ligue 181.

Publicidade

Fotos: Divulgação


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Warning: file_put_contents(/var/www/html/wordpress/wp-content/themes/hypeness-new/functions/cache/twitter-stream-hypeness.txt): failed to open stream: Permission denied in /var/www/html/wordpress/wp-content/themes/hypeness-new/functions/social.php on line 410


X
Próxima notícia Hypeness:
Unicamp disponibiliza gratuitamente 300 planos de aula para os ensinos Médio e Fundamental