Arte

Mulheres no rock: elas gritaram mais alto que o rock É SIM coisa de mulher

Redação Hypeness - 14/07/2021

No dia 13 de julho, o mundo celebra o dia internacional do rock ‘n’ roll. E dentro desse gênero tão diverso que se espalhou por todo o mundo, sempre comemoramos as mesmas bandas de rock, sempre do Reino Unido ou dos EUA, e acabamos muitas vezes nos esquecendo da pluralidade que o rock sempre teve. Além disso, as mulheres tiveram um papel preponderante na formatação desse estilo musical e foram preponderantes nessa história.

– Dia Mundial do Rock: 8 guitarristas mulheres que abalam novas e antigas estruturas

Nesse artigo, você irá conhecer diversos nomes de mulheres que foram e são importantes na formatação do que é rock ‘n’ roll. Serão bandas e artistas solos para você conhecer, ouvir, compartilhar e valorizar. Dá uma olhada na nossa lista:

1. Sister Rosetta Tharpe

Com guitarra elétrica, Rosetta formatou o que hoje seria conhecido como blues rock nos anos 30 e 40

Quem inventou o rock ‘n’ roll? A pergunta sempre vai ser respondida com o nome de Chuck Berry ou Bill Haley. Mas a verdade é que a invenção do gênero pode ser atribuída a Rosetta Tharpe, uma cantora gospel do Arkansas, dos EUA. Muito antes da década de 50, quando rock se tornou o som da juventude, essa mulher negra, descendente de escravizados do sul dos EUA, já havia acelerado o ritmo do blues e colocado uma boa guitarra elétrica na batucada do blues, formando o que conhecemos hoje como rock.

Sua influência é enorme nas criações dos anos 50 e fica ainda mais evidente no blues britânico que estouraria na segunda metade dos anos 60, em bandas de rock como Cream, Yardbirds, Led Zeppelin e no trabalho de Jeff Beck.

2. Selda Bagcan

Selda Bagcan foi a voz do rock anatoliano, a ‘Tropicália Turca’

O desdobramento do psicodelismo e a influência de bandas como Beatles, Cream e Jimi Hendrix and The Experience não ficou somente no nosso tradicional ocidente. Na divisa entre o Oriente e nosso hemisfério, uma cena de rock muito interessante surgiu com bandas de rock incríveis surgiu: o rock anatoliano.

Selda Bagcan era algo como a Gal Costa da Turquia. Com letras extremamente políticas, um agudo que não deve nada a ninguém e uma guitarra ardida de fuzz como a de Lanny Gordin em ‘Fa-Tal’, Selda é um dos principais nomes da música turca que reunia os elementos da psicodelia com o grito dos oprimidos e uma pitada de música tradicional turca. Seu som inovador atr

Ouça seu principal ‘hit’ e pedrada, ‘İnce İnce Bir Kar Yağar’, um clássico da música tradicional turca em releitura psicodélica:

3. Mamani Keita

Mamani Keita é um dos maiores nomes da música do Mali e mostra muito poder em décadas de carreira

‘Mamani’ significa literalmente ‘avó’ em língua bambara, um dos principais idiomas do Mali. Mamani é uma das principais vozes da música malinesa – que muitos historiadores da música consideram ser o berço do blues, que, por associação, é o pai do rock. A cantora sempre flutuou por muitos gêneros e é literalmente considerada uma das avós da música no país – sua inventividade abriu portas para a riquíssima cena do Mali que dominou o som da Europa com bandas de rock como Tinariwen e Songhoy Blues – e seu estilo é inconfundível.

Em ‘Kanou’, nome do disco homônimo de 2014, a vovó do rock malinês entrega uma mistura de um som desértico com o sul do país, mais ligado com a sonoridade do Sahel. Vale dar uma ouvida:

4. Rina Sawayama

Sawayama pode não ser a roqueira que você queria, mas é a que você precisa: é metal e é pop!

Rina Sawayama é uma cantora norte-americana com nascida no Japão. Ela se tornou um dos principais nomes da música pop por seu requinte estético e por suas letras inconfundíveis. Mas diferentemente de seus singles e materiais anteriores, seu disco de estreia, ‘Sawayama’, de 2019, entregou uma vibe inacreditável e realinhou o mundo do pop com o rock. Logo na faixa de abertura, somos introduzidos a um riff de guitarra digno de uma canção de trash metal, e seu trabalho unindo o metal com o pop fez com que os críticos criassem até um novo gênero para designar seu som: ‘numetal-pop’.

Confira ‘STFU’, abertura do álbum ‘Sawayama’, já considerado um clássico da nossa geração:

5. Jadsa

Jadsa é um dos principais nomes da música brasileira em 2021 e suas guitarras explicam o porquê

Tava sentindo falta de uma brasilidade né? Não iríamos deixar de fora a incrível Jadsa. A cantora e guitarrista baiana lançou, em 2021, o disco ‘Olho de Vidro’. O debut da cantora é assustador de bom e, sem dúvida, figura entre os melhores lançamentos nacionais desse ano.

Com influências de Itamar Assumpção, Ava Rocha e muitas outras brasilidades, Jadsa não deixa de lado uma boa guitarra e uma baita energia. Ouça Jadsa em apresentação ao vivo mandando tudo com ‘Mangostão’, faixa que está em ‘Olho de Vidro’:

6. Hole

Courtney foi vítima do machismo ao longo de toda sua carreira com a taxação de ‘louca’; de louca, não tinha nada. Era genial, visceral e revoltada com o sistema.

Courtney Love é uma das maiores figuras da história da música pop. Seu grito inconfundível se tornou a voz das mulheres no grunge, um movimento dominada por bandas de rock lideradas por homens. E Courtney é, provavelmente, uma das maiores vítimas do machismo dentro do mundo da música.

– Kurt Cobain e Courtney Love são puro amor neste raro ensaio de 1992 

Falsamente acusada de ser responsável em alguma escala pela morte de seu ex-marido, Kurt Cobain, Courtney se tornou bode expiatório de uma misoginia recorrente dentro do mundo do rock. Mas o trabalho do Hole, sua banda de rock, não pode ser esquecido em seus dois clássicos álbuns ‘Live Through This’, de 1994, e ‘Celebrity Skin’, de 1999.

Confira o principal som do primeiro disco da banda, ‘Violet’:

7. Birtha

Birtha botava peso na psicodelia e foi uma das poucas bandas – junto com Fanny – só de mulheres durante o movimento hippie

Muitas vezes quando pensamos em bandas compostas somente por mulheres, acreditamos que as Runaways foram as primeiras da história. E não queremos desvalorizar a importante revolução musical de Joan Jett e Cherrie Curie, mas teve muita banda de rock com uma baita energia compostas só por mulheres antes delas. Uma das principais delas foi a banda ‘Birtha’.

Se te interessou, leia: Fanny: uma das mais importantes – e menos conhecidas – bandas femininas da história do rock

Lideradas pela baterista-vocalista Olivia Favela, uma filha de imigrantes mexicanos em Indiana, a banda de rock psicodélico só de mulheres fez shows históricos – como a apresentação no Erie & Soda Pop Festival, o pior festival da história antes do Fyre. O peso da guitarra cheia de overdrive,  o vocal explosivo de Olivia ‘Liver’ e um baita baixão fazem com que essa banda não perca nada para qualquer bandinha da época dos hippies.

Ouçam ‘Free Spirit’ e me digam se não é do car*lho:

8. Betty Davis

Betty Davis apresentou Hendrix à Miles Davis e mudou curso da carreira do maior jazzista de todos os tempos, mas sobretudo desenhou um estilo de soul pesado com legado que dura até os dias de hoje

Não tem como falar de rock feito por mulheres sem falar dessa mulher. Betty Davis foi um dos maiores nomes da música e deve ser lembrada frequentemente. Geralmente, costumam lembrar dela por ser ex-esposa de Miles Davis (e tê-lo apresentado para o jazz fusion) mas seu trabalho vai muito além disso.

– Donna Summer foi ícone fashion absoluto por décadas e nós podemos provar 

Betty foi revolucionária: introduziu de maneira clara o prazer sexual feminino em suas letras, aderiu ao peso das guitarras que já eram estridentes em seu tempo e uniu com a levada soul já consagrada nos EUA, formando um jazz-funk-punk que se tornaria icônico.

Ouça Nasty Girl e entenda porque ela é considerada uma das mães do punk:

9. Les Filles de Illighadad

“As filhas de Illighadad” são um grupo de música do Niger que lutou contra a proibição de meninas tocarem nas vilas tuaregues e conquistaram o mundo com seu som desértico

O grupo Les Filles de Illighadad se tornou um dos principais nomes da música malinesa. Composto de mulheres tuaregues, originárias da região de Illighadad, no deserto do Saara, no Niger. Lideradas por Fatou Seidi Ghali, elas quebram a tradição dos povos tuaregues em que somente homens podem fazer música. Elas encheram suas vilas de guitarras e passaram a fazer um som desértico maravilhoso, um blues com um continuum absolutamente incrível. E vivem em simplicidade: depois de sua primeira tour pela Europa, Fatou comprou algumas cabeças de gado para a vila de Illighadad.

– Os melhores filmes sobre músicos famosos 

Confira o psicodélico e saárico som da banda de rock nigerina:

Gostou da nossa seleção?

 

 

Publicidade

Fotos: Fotos 1, 3, 4, 6, 7 e 8: Getty Images Foto 2: Reprodução/Last.fm Foto 5: Divulgação


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
‘Caveira’, com 99% do corpo tatuado, diz que pais ‘ficaram em choque’; ele quer rivalizar com Diabão