Diversidade

‘Pretas no Poder’ lista termos racistas que você deve riscar de sua vida

Redação Hypeness - 28/07/2021


A plataforma de visibilidade ‘Pretas e Pretos no Poder’, que divulga conteúdo de criadores negros, listou de termos da nossa linguagem que estão impregnados de racismo. Diversas expressões que usamos no nosso cotidiano reforçam ideias racistas e estruturas herdadas na escravidão. A coleção dos termos foi elaborada pela psicóloga Maiara Minatto.

– Ela usou a venda de sua casa para comprovar e denunciar o racismo estrutural 

Existem uma série de expressões na nossa vida que possuem cunho racista

São os seguintes termos:

Fazer nas coxas: esse termo está relacionado ao trabalho dos escravizados durante o período da escravização. Os negros em condição de exploração faziam telhas de barro em suas coxas; como as pernas eram desiguais, os telhados não ficavam bem feitos. Daí surgiu a expressão racista, que tem vários sinônimos.

– O uso da palavra ‘genocídio’ no combate ao racismo estrutural 

Mulato: mulato é etimologicamente um derivado de ‘mula’. O termo designa filhos de brancos com negros durante o período da escravização.

Denegrir: para falar sobre esse termo, vale empregar a fala do linguista Thomas Finbow, doutor do Departamento de Linguística da USP, à Vogue:

“Não há nada na etimologia das expressões que remete à racismo diretamente, além do fato de elas conterem as palavras ‘branco’ e ‘negro’, que têm, sim, um vínculo forte com conceitos raciais, e as respectivas conotações milenares positivas e negativas que esses dois adjetivos trazem na cultura europeia. Ou seja, a equação branco/luz/positivo e negro/trevas/negativo posa uma questão bem mais geral na língua portuguesa. Existem tantas outras maneiras de expressar nossas avaliações negativas, por que focar na questão de cor?”, explica. Simples, né?

Meia tigela: meia tigela é um termo que se refere aos escravizados que não cumpriam suas funções nas lavouras. Eles recebiam metade da porção de comida, sendo assim chamados de ‘meia tigela’.

Leia também: Vacina e racismo: brancos são 2 vezes mais vacinados do que negros, diz Agência Pública

Nega Maluca: não precisa nem falar né? Mas para os desavisados, o termo reforça o estereótipo das mulheres negras como pessoas hipersexualizadas, empobrecidas e sem senso crítico.

Confira os outros termos na lista:


Já está na hora de abandonar essas palavras, né?

Publicidade

Fotos: © racGetty Images


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.