Ciência

Quase 100% das nossas preocupações não se concretizam, diz estudo

Vitor Paiva - 21/07/2021 | Atualizada em - 22/07/2021

Se você é daquelas pessoas que acham que a maioria das nossas preocupações não merece tanta atenção e que pra quase todos os nossos temores a melhor solução é simplesmente deixar pra lá, sua atitude poderá ganhar respaldo científico.

Um estudo realizado por cientistas da Pennsylvania State University, nos EUA, comprovou que a quase totalidade das nossas preocupações mais recorrentes não se concretizam: em suma, nossos medos mais frequentes não se tornam realidade em 91% dos casos, e não mereciam ocupar nossa atenção desde o princípio.

Homem preocupado

A pesquisa confirma que quase todas as preocupações imediatas não acontecem

-Jovem cria projeto para encarar 100 medos em 100 dias

O estudo foi realizado com participantes que apresentavam desordem de ansiedade em níveis diversos: quatro vezes por dia, cada envolvido enviava por mensagem de texto preocupações eventuais que surgiram nas últimas horas. A premissa era focar especialmente em temas que podiam ser medidos em 30 dias, como sobre o resultado de um exame ou de uma prova, a realização de uma tarefa profissional, uma reunião importante ou coisa assim.

E se 91% dos resultados se revelaram alarmes falsos, mesmo entre os 9% que se comprovaram reais, um terço das preocupações se revelaram menos graves do que inicialmente pareciam – para um em cada quatro participantes do estudo, nenhuma preocupação se concretizou.

mulher preocupada

Mesmo as preocupações que ocorrem são muitas vezes menos graves do que pensávamos

-Música tem poder de cura e efeitos positivos imediatos no cérebro, expõe documentário

Uma das conclusões importantes que o estudo nos oferece é de que devemos desconfiar do nosso cérebro e daquilo que pensamos e mesmo sentimos em um primeiro momento: nossos pensamos e conclusões frequentemente simplesmente se enganam.

Tal ponto pode oferecer importante reflexão sobre como avaliamos os dilemas da vida, bem como abrir espaço para terapias e novas formas de pensar: a confirmação de que a maiorias das preocupações imediatas não se concretizam pode amenizar pensamentos compulsivos e quadros de estresse e ansiedade generalizados.

Homem preocupado de máscara

A pandemia trouxe uma nova qualidade de preocupações imediatas

-Pandemia gera ansiedade pós-lockdown por medo de reabertura

Publicado na revista Research Gate no ano passado, o estudo foi realizado em 2019, ainda, no entanto, como experimento inicial e reduzido, contando com somente 29 participantes – a necessidade de um novo estudo, maior e mais detalhado, é fundamental para comprovações mais efetivas sobre a primeira conclusão sugerida.

De todo modo, o experimento aponta para como as maiores informações e o questionamento de nossas ansiedades fundamentais pode ser um instrumento importante para melhor lidar com essas mesmas ansiedades – combatendo fantasmas com a mais pura realidade.

Publicidade

© fotos: Getty Images


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, Vitor Paiva é mestre e doutor em Literatura, Cultura e Contemporaneidade pela PUC-Rio. Publica artigos, ensaios e reportagens, é autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores.

Warning: file_put_contents(/var/www/html/wordpress/wp-content/themes/hypeness-new/functions/cache/twitter-stream-hypeness.txt): failed to open stream: Permission denied in /var/www/html/wordpress/wp-content/themes/hypeness-new/functions/social.php on line 410


X
Próxima notícia Hypeness:
Orgasmo feminino: por que cada mulher tem uma maneira única de gozar, segundo a ciência