Debate

Semana de 4 dias ganha simpatizantes e pode beneficiar negócios; entenda

Vitor Paiva - 29/07/2021

O segredo do sucesso da empresa britânica Bakedin está na qualidade de seus produtos, mas também na motivação de sua equipe – com um detalhe determinante: a semana de trabalho por lá é de somente quatro dias.

Quem atesta o êxito de tal mudança é Joe Munns, o próprio CEO da marca especializada na produção e venda de kits e ingredientes para feitura de bolos, que confirma que a mudança não só impacta positivamente a determinação dos funcionários, mas também na produtividade, na rotatividade e no recrutamento da equipe.

Bakedin

A Bakedin produz kits para o preparo de bolos no Reino Unido

-Chefe de federação sindical britânica pede semanas de quatro dias

O relato de Munns foi publicado em entrevista para a BBC Brasil, onde o empresário explica que a redução dos dias de trabalho semanais foi implantada da Bakedin em 2013, quando os 40 funcionários da empresa passaram a ter três dias de folga na semana.

Os trabalhos eventuais das sextas-feiras são realizados por funcionários que se oferecem para trocar a terceira folga por outro dia da semana – assim, todos trabalham cerca de 9 horas e meia por dia, quatro dias por semana, em um sistema que, segundo Munns, se revelou mais produtivo.

Joe Munns, CEO da Bakedin, que instaurou a semana de 4 dias na empresa

Joe Munns, CEO da Bakedin, que instaurou a semana de 4 dias na empresa

-Relatório da OMS conclui que jornada excessiva de trabalho causa morte de mais de 745 mil pessoas por ano

A Bakedin viu suas vendas dispararem durante a pandemia, e o CEO garante que a dinâmica reduzida tornou a empresa mais produtiva mesmo diante do aumento da demanda – a diminuição do cansaço melhora os dias de trabalho e reduz a possibilidade da síndrome de burnout, quando um trabalhador se vê diante de um esgotamento completo.

Além disso, a semana de quatro dias reduz consideravelmente a rotatividade de funcionários na Bakedin, problema especialmente comum em empresas do ramo alimentício.

Funcionários da Bakedin

Os funcionários produzem mais e melhor em menos tempo, segundo a empresa

-Japão quer criar folga mensal para as manhãs de segundas-feiras

O expediente reduzido não só ajuda a reter profissionais como atrai novos funcionários eventuais, e isso pode ser determinante para uma empresa de médio porte como a própria Bakedin – como um atrativo além do financeiro.

Uma empresa brasileira realizou mudança semelhante, eliminando as quartas-feiras da semana de trabalho, enquanto a Islândia vem realizando experimentos com a semana reduzida em todo o país com imenso sucesso, provando que trabalhar menos é um excelente caminho para trabalhar melhor – e de forma mais produtiva.

Kit Bakedin para fazer bolos

A pandemia fez as vendas dos kits da empresa explodirem

Publicidade

© fotos: Bakedin/divulgação


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, Vitor Paiva é doutor em Literatura, Cultura e Contemporaneidade pela PUC-Rio. Autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores, publica artigos, ensaios e reportagens.