Diversidade

Supremo decide que SUS terá que respeitar identidade de gênero; medida beneficia pacientes trans

Vitor Paiva - 01/07/2021 | Atualizada em - 05/07/2021

Foi determinado em 28 de junho, Dia Internacional do Orgulho LGBTQIA+, pelo ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, que o Ministério da Saúde deverá adotar medidas que garantam um atendimento no contexto do Sistema Único de Saúde que respeite o gênero com o qual o paciente se identificar. Segundo o ministro, a decisão visa garantir igualdade e reduzir a burocracia para o atendimento da população trans e, assim, ampliar a garantia à saúde, à vida, ao atendimento apropriado, especialmente no contexto da pandemia.

bandeira trans

A decisão do ministro beneficia a saúde das populações trans no Brasil © Getty Images

-Homem trans celebra dispensa do Exército aos 33 anos: ‘Tenho direitos’

“É necessário garantir aos homens e mulheres trans acesso igualitário a todas as ações e programas de saúde do Sistema Único de Saúde (SUS), especialmente aqueles relacionados à saúde sexual e reprodutiva, como agendamento de consultas nas especialidades de ginecologia, obstetrícia e urologia, independentemente de sua identidade de gênero, sendo fundamental eliminar obstáculos burocráticos que possam causar constrangimento a pessoa e atraso no acesso a prestação de saúde”, afirmou o ministro, lembrando que o mesmo supremo decidiu em 2018 que a alteração do nome e gênero no registro civil pode se dar sem a necessidade de uma cirurgia de redesignação de sexo.

O Ministro do Supremo Gilmar Mendes

O Ministro do Supremo Gilmar Mendes © Marcos Oliveira /Agência Senado

-Ana Carolina Apocalypse exibe RG com nome social para celebrar aniversário

A decisão de Mendes determina que o Ministério da Saúde terá 30 dias para realizar mudanças que garantam o acesso igualitário, como a modificação do sistema de informação do SUS para que as consultas e exames sejam efetivadas levando em conta a autodeclaração de gênero. Da mesma forma, a declaração de Nascido Vivo, primeiro documento de identificação de um recém-nascido, passará a oferecer a categoria “parturiente”, referindo-se a quem acabou de parir, como decisão que reserva o direito dos pais à autodeclaração, garantindo a formulação de políticas públicas inclusivas e acesso igual aos programas de saúde.

Congresso brasileiro "tingido" com as cores da bandeira trans

Congresso brasileiro “tingido” com as cores da bandeira trans © CC

-Desmonte do SUS: decreto anuncia privatização da atenção básica em retrocesso histórico

“Esse atendimento personalizado deve ser realizado, por exemplo, a uma pessoa que retificou o registro civil para refletir a sua identidade de gênero com um nome masculino, mas que possui útero. Neste caso, se essa pessoa deseja engravidar, deve ter direito ao atendimento com médico obstetra, bem como a um pré-natal adequado”, afirmou o ministro, lembrando que o contexto da crise sanitária mundial imposta pela pandemia determina a necessidade urgente de derrubar burocracias pra garantir o direito à vida.

Prédio STF em Brasília

Prédio STF em Brasília © Wikimedia Commons

-Elliot Page diz se ‘sentir completo’; ator falou à Time sobre cirurgia e luta pela comunidade trans

“Da mesma maneira, uma pessoa que retificou o registro civil para refletir a sua identidade de gênero com um nome feminino, mas possui órgãos do sistema reprodutor masculino, deve ter direito ao atendimento de médico urologista, por exemplo”, concluiu Mendes. A decisão foi tomada individualmente pelo juiz do supremo.

Publicidade

© fotos: créditos


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, Vitor Paiva é mestre e doutor em Literatura, Cultura e Contemporaneidade pela PUC-Rio. Publica artigos, ensaios e reportagens, é autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores.

Warning: file_put_contents(/var/www/html/wordpress/wp-content/themes/hypeness-new/functions/cache/twitter-stream-hypeness.txt): failed to open stream: Permission denied in /var/www/html/wordpress/wp-content/themes/hypeness-new/functions/social.php on line 410


X
Próxima notícia Hypeness:
Atriz de ’13 Reasons Why’ se revela mulher trans: ‘Libertadora’