Diversidade

5 cursos do Mercado Black Money para ampliar perspectivas e apoiar profissionais pretos

Redação Hypeness - 12/08/2021 | Atualizada em - 16/08/2021

O Mercado Black Money é uma plataforma de empreendedorismo negro que procura ampliar perspectivas e apoiar profissionais negros. Ele é o marketplace do movimento Black Money, que busca concentrar o consumo e a acumulação de capital para pessoas pretas, gerando uma relação entre consumidores e empresários pretos.

– Empreendedorismo feminino no Brasil expõe abismo entre mulheres negras e brancas 

Mercado Black Money procura incentivar relações entre consumidores e empreendedores negros

“Nosso objetivo é ser mais do que um Marketplace para negócios negros, mas uma ferramenta para gerar autonomia e prosperidade para comunidade negra, dentro dos valores afrocentrados. Queremos auxiliá-los a utilizar seu poder econômico e populacional em seu próprio benefício! Temos como missão ajudar as pessoas que querem ajudar a si mesmas e suas comunidades. Nosso poder está em nossa economia, em nossa união e em nossa ancestralidade, uma vez que isso esteja compreendido e assumamos o controle sobre nossas finanças, veremos a mudança!”, explica o Movimento Black Money em seu site.

Selecionamos 5 cursos disponíveis no marketplace do Movimento Black Money que dialogam com questões sociais, estéticas e financeiras para pessoas pretas. Dá uma olhada:

– Implicantes: criadores negros desenvolvem cerveja que combate o racismo já no rótulo 

1. Masculinidades e feminilidades africanas

O curso ‘Masculinidades e feminilidades negras: por um olhar mulherista africana ‘, organizado pela professora e pesquisadora Roberta Ribeiro, tem como foco debater e propor questões sobre as questões de gênero, identidade e raça dentro de um perspectiva pós-colonial.

“O minicurso busca centralizar os estudos sobre movimentações de mulheres, homens e pessoas não-binárias que performam feminilidades e masculinidades negras. O olhar mulherista africana é essencial para que não ocorra marginalização do povo preto, em especial homens negros e pessoas do LGBTQIA+. Nasce daí o intuito do curso ocorrer em agosto, mês que comemoramos o dia dos pais, mas que continua a ignorar a paternagem e masculinidades negras”, explica a professora.

2. Educação financeira por Grana Pretta

Também na pegada do dia dos pais, o projeto Grana Pretta disponibilizou um curso de educação financeira focada em mulheres negras. Pensando em mães solo, a ideia do curso é auxiliar as mulheres pretas a organizarem sua vida profissional e financeira em quatro aulas.

“No dia 8 de agosto comemora-se o dia dos Pais no Brasil. Mas por aqui, muitos dos homenageados neste dia são mulheres negras. Somos 6,7 milhões de mulheres inteiramente responsáveis pela criação dos filhos. A Educação Financeira é essencial para mães solos, que precisam promover o bem estar da família e ainda assegurar a realização de seus sonhos e projetos!”, afirma a descrição do curso.

– Apenas 2% das mulheres negras empregadas ocupam cargos de diretoria, aponta pesquisa 

3. Inglês afrocentrado

Os cursos de inglês das escolas de idiomas não tem recortes raciais. Foi pensando nisso que Fabiana Côrtes Carvalho Pepino, mulher negra, professora de inglês, pesquisadora e tradutora há mais de 20 anos, com graduação em Letras (UFSCar), pós-graduação em Educação (UCM/Espanha), pensou em um curso de inglês afrocentrado para os diversos níveis de proficiência no idioma.

O intuito do curso é ensinar “inglês com mindset afrocentrado e antirracista, incluindo história e cultura africana e afroamericana, identidade negra, personalidades negras, referências musicais, audiovisuais e produção literária negra, com destaque para contribuição de mulheres negras que fizeram história”.

4. Escola de posts

A Escola de Posts se propõe a ensinar empreendedores a criarem conteúdos relevantes nas redes sociais. O curso, com duração de doze meses, propõe uma comunicação melhor nas redes sociais para quem deseja conseguir se reposicionar profissionalmente.

5. Orientação capilar

O terapeuta Eloy Caldas irá dar mentorias sobre o seu tipo de cabelo, explicando como ele deve ser tratado e quais são os processos mais adequados para o tratamento da moldura de seu rosto. Em um acompanhamento de três meses, o terapeuta irá ensinar questões básicas sobre os tipos de cabelo e quais são as terapias e técnicas adequadas para suas madeixas.

Publicidade

Fotos: © Getty Images


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.