Ciência

Antes da evolução da fotografia espacial astrônomo francês criava desenhos de tirar o fôlego

Redação Hypeness - 26/08/2021 | Atualizada em - 29/08/2021

Existia um tempo em que a humanidade não tinha telescópios e lentes que pudessem captar a beleza do espaço sideral que nos circunda. Mas isso não significa que não pudéssemos ver esse mundo: desde o século XVI, com o advento das lentes, os amantes da astronomia já se dedicavam à observação desses astros. Um deles era o francês Étienne Léopold Trouvelout, um artista que ficou notoriamente conhecido por suas pinturas e desenhos que representavam fenômenos astronômicos e os astros nas nossas proximidades.

– Um dos manuais de astronomia mais belos do Renascimento foi feito pelo astrônomo do imperador Carlos V 

Representação do planeta Marte feita por Trouvelout em 1882

Trouvelot nasceu em Aisne, na França, mas migrou para a região do Massachussetts, nos EUA, após o golpe de estado que colocou Napoleão III no poder. Na costa leste estadunidense, sua paixão pela astronomia cresceu e o astrônomo começou a retratar fenômenos astronômicos e astros por hobby.

– Portal com ‘segredos do Universo’ atrai milhares de visitantes ao Sri Lanka 

A sua coleção de desenhos foi publicada em um livro no ano de 1882 e ganhou muita notoriedade entre os astrônomos dos EUA. Mas antes disso, suas ilustrações já haviam chamado a atenção do Departamento de Astronomia de Harvard, que o convidou para fazer parte da equipe em 1872. No ano seguinte, ele começou a trabalhar para o governo de Washington como observador espacial da Marinha.

Manchas solares sob os olhos de Trouvelot

Trouvelot, entretanto, acabaria sendo lembrado na história por um desastre ambiental. Ele também era um entomologista amador e acreditava que poderia criar uma espécie de ‘bicho-da-seda’ super-potente ao combinar as mariposas ciganas comuns da Europa com os bichos-da-seda dos EUA.

Maior astrônomo de Harvard acredita que alienígenas tentaram contato com a Terra em 2017

Entretanto, as mariposas ciganas que ele criava em sua casa acabaram escapando. Mas o impacto desses animais só seria visto em larga escala alguns anos depois, quando esses insetos começaram a devorar as plantações e florestas da costa leste americana. Em 1981, mais de 120 anos depois da introdução da mariposa ao continente americano, o animal havia destruído mais de 12 mil quilômetros quadrados de florestas. Até os dias de hoje, essa mariposa é considerada a principal praga para florestas nos EUA.

Aurora Boreal em uma pintura de Trouvelot

Publicidade

Fotos:


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.