Diversidade

Beyoncé é atacada por Aguinaldo Silva e Jéssica Ellen responde cobrando protagonismo negro

Karol Gomes - 25/08/2021

Depois que o dramaturgo Aguinaldo Silva fez críticas a Beyoncé e Jay-Z, estrelas de campanha recente para a marca de luxo Tiffany’s, a atriz Jéssica Ellen falou sobre a falta de protagonismo negro nas novelas, destacando os folhetins “Império” e “Senhora do Destino”, ambos assinados pelo ex-autor da Globo.  

Alfinetada de Jéssica Ellen em Aguinaldo Silva começou com um tweet do próprio Aguinaldo, que criticou o fato de que Beyoncé aparecer em um ensaio fotográfico portando um diamante avaliado em mais de R$ 160 milhões de reais. Ela, que posou ao lado do marido Jay-Z, foi a primeira mulher negra a exibir a peça. 

Leia também: Jéssica Ellen fala ao Hypeness sobre novo disco

Jéssica Ellen em ensaio que homenageia Beyoncé no clipe de “Crazy in Love”

“Joelly tem 37 anos, é negra, diarista, mãe de três filhos e nenhum pai para ajudar a criá-los. Fico aqui a imaginar o que lhe passa pela cabeça quando ela lê notícias como essa sobre o colar milionário de Beyoncé. Gente, vamos cair um pouco na real, tá legal?”, questionou Aguinaldo Silva. 

Confira o tweet de Aguinaldo Silva: 

Jéssica Ellen, que não esconde sua admiração por Beyoncé, respondeu ao autor de novelas com ironia. “Vamos falar de Brasil?”, questionou. 

A atriz, sucesso na novela “Amor de Mãe”, sublinhou a falta de protagonistas negros nas novelas dirigidas por Aguinaldo Silva e apontou a ausência de elementos da cultura negra nas histórias contadas por ele. 

Byoncé posa com Jay-Z usando diamante da Tiffany’s de R$ 160 milhões:

“Quando eu olho a imagem da Beyoncé poderosa e milionária, penso na potência que nós negros somos e o quanto ela inspira milhares de pessoas pretas no mundo todo. Em pleno 2021 a lista de protagonistas pretas na TV brasileira não chega nem a cinco nomes… E não é por falta de talento, e sim oportunidades”, escreveu Jéssica.

Jéssica Ellen falou francamente sobre a dificuldade da elite branca de visualizar uma pessoa negra como Beyoncé em um lugar de destaque e demonstrando autonomia financeira. 

“O problema é ainda sermos vistos apenas como descendentes de escravizados e não reais potências. O problema é ter um país com mais de 50% da população preta e isso nem sequer estar representado nos filmes e novela”, problematizou. 

Publicidade

Fotos: Reprodução/Instagram


Karol Gomes
Karol Gomes é jornalista e pós-graduada em Cinema e Linguagem Audiovisual. Há cinco anos, escreve sobre e para mulheres com um recorte racial, tendo passado por veículos como MdeMulher, Modefica, Finanças Femininas e Think Olga. Hoje, dirige o projeto jornalístico Entreviste um Negro e a agência Mandê, apoiando veículos de comunicação e empresas que querem se comunicar de maneira inclusiva.