Inovação

CEO corta 90% de seu salário para dar aumento aos funcionários e empresa prospera

Redação Hypeness - 04/08/2021 | Atualizada em - 09/08/2021

Há seis anos, Dan Price decidiu dar um passo ousado para um CEO. Líder da Gravity Payments, uma companhia de processamento de cartões de crédito e serviços financeiros, ele cortou o próprio salário em 90% para permitir que todos os 120 funcionários da empresa pudessem ganhar US$ 70 mil por ano. 

Semana de 4 dias ganha simpatizantes e pode beneficiar negócios; entenda

Dan Price em uma reunião da Gravity Payments.

Na época, a decisão foi muito criticada, mas parece que o jogo virou e, hoje, Dan garante que essa foi a melhor decisão que ele tomou na vida profissional. Ele dividiu os bastidores da decisão em sua conta no Twitter. 

Tudo começou há sete anos, quando o CEO encontrou um guia de treinamento para funcionários do McDonald’s na mesa de uma funcionária chamada Rosita. “Acontece que ela estava treinando para ser uma gerente lá porque o que ela não conseguia sobreviver com o salário que eu pagava. Eu a chamei no meu escritório”, relembra. 

Ela estava escondendo o guia do McDonald’s porque pensou que um segundo emprego iria fazer com que ela fosse demitida. Que tipo de cultura é essa que eu havia criado? A da escassez e do medo.

A funcionária, chamada Rosita, recebia US$ 30 mil por ano, algo próximo de US$ 2,5 mil, um salário baixo para alguém que fazia faculdade. “Ela saía do escritório às 17h e trabalhava escondida de 5h30  às 23h todas as noites durante a semana no McDonald’s por um ano e meio“, contou o chefe. “Antes dela pegar o segundo emprego, havia noites em que ela buscava comida em filas de doações.

CEO de empresa deu a melhor resposta ao ser questionada por usar salto alto na cadeira de rodas

Rosita e Dan Price durante entrevita ao programa da cantora Kelly Clarkson.

Dan conta que, naquele dia, Rosita e ele conversaram sobre as finanças da mulher. “Eu havia me esquecido sobre como é pagar suas dívidas estudantis de US$ 30 mil por ano em uma cidade cara”, admitiu. 

Ela voltou e disse que precisava de um aumento de US$ 10 mil para largar o segundo emprego. Eu disse que tudo bem, mas se ela pegasse umas tarefas extras.

Ela se demitiu do emprego no McDonald’s, se mudou do apartamento ruim e passou a usar o tempo livre para ver mais os amigos. A saúde mental dela melhorou e, da mesma forma, a sua performance no trabalho.

Rosita logo se mostrou extremamente capaz e foi promovida a diretora de operações. A situação fez Dan pensar na possibilidade de fazer o mesmo com todos os funcionários. “Foi quando nós mais que dobramos o nosso salário mínimo para US$ 70 mil“, explica. “De lá para cá, nossa produtividade e lucro triplicaram. Além disso, dez vezes mais funcionários compraram casas e tiveram filhos.

Rosita atualmente é diretora de vendas da empresa e já contou sua história em podcasts e programas de TV.

Como o seu trabalho pode te ajudar a ter uma vida mais saudável

A maior coisa que eu aprendi? Ouça os seus funcionários. Nunca assuma que você sabe como tudo funciona. Nunca tome decisões de cima para baixo sem ouvir o que eles têm a dizer“, aconselhou o CEO, que instituiu reuniões semanais com os funcionários.

Quando a pandemia chegou, a empresa percebeu que precisaria fazer demissões em massa por conta da baixa receita. Dan então conta que reuniu os funcionários e eles se ofereceram para fazer cortes em seus próprios salários e não demitir ninguém. “Eles nos ajudaram a nos recuperar e, mais tarde, nós pagamos a eles os salários perdidos com pequenos aumentos.

Eu ainda estou aprendendo a ser um chefe melhor e só pareço ser um bom CEO porque o sarrafo é extremamente baixo“, admite. “Escute seus funcionários, acredite neles e os recompense. Eles são responsáveis pelo sucesso de uma companhia, não os CEOs“, finalizou.

Publicidade

Fotos: Dan Price/Instagram


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.