Diversidade

Homofobia: mulher recusa vacina contra a covid por profissional de saúde ser gay

Redação Hypeness - 24/08/2021

A Secretaria Municipal de Saúde (Sesau) publicou uma nota de repúdio contra mais um caso de homofobia após um episódio ocorrido com o cirurgião-dentista Gustavo dos Santos Lima, de 27 anos, no drive Albano Franco, em Campo Grande, onde está sendo realizada parte da vacinação contra a covid-19 na cidade. 

De acordo com informações do G1, uma mulher teria interrompido a vacinação da filha ao notar que Gustavo é gay. Ela, diz o jovem,  o ofendeu com xingamentos homofóbicos. 

“Isso me entristeceu demais. Até então, nunca tinha sido ofendido, nunca tinha passado por este tipo de situação. A gente sabe que existe, sabe que todos os dias pessoas sofrem preconceito, só que a gente acha que nunca vai acontecer com a gente, ainda mais em um lugar onde está ocorrendo vacinação. E a ofensa dói, doeu ter ficado calado, só que não consegui ter outra reação na hora”, disse Gustavo, em entrevista ao G1.

– Bahia apresenta camisa LGBTQIA+ com lucro para projeto anti-homofobia

Gustavo afirmou que vai continuar atendendo no drive

– Vacinação contra Covid-19: saiba o percentual de proteção das vacinas

Homofobia 

Segundo Gustavo, a agressora chegou por volta das 15h e entrou no drive, se dirigindo ao box onde ele atende. “Quando eu estava entregando os comprovantes, percebi uma confusão no carro atrás, só que ignorei e continuei dando as orientações no carro da frente”, relembrou, também ao G1.

Gustavo acabou descobrindo logo depois que a confusão era por causa dele. A motorista não queria, conforme o relato do profissional, que a outra vacinadora passasse o atendimento para ele. “Ela disse para minha colega, apontando o dedo para mim: ‘Eu não quero que a minha filha seja vacinada por esse tipo de gente, um veado’”, disse, ainda ao G1.

Testemunhas também relataram gritos da mulher, que jogou os documentos da filha contra a vacinadora que pediu respeito ao colega. A motorista e a garota foram “convidadas a se retirar” do local. Segundo os profissionais de saúde do posto de vacinação, ela retornou ao na segunda-feira (23), mas não encontrou Gustavo. 

– Homofobia é crime: saiba como identificar e denunciar

O dentista atua como voluntário, aplicando vacinas tanto na unidade de saúde, como nos drives de vacinação. Gustavo aproveita até mesmo os dias de folga para atuar na campanha e está escalado para a semana de feriado de 7 de setembro. De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde (Sesau), um processo administrativo foi instaurado para apurar o episódio de homofobia. Veja a declaração na íntegra: 

“A Sesau manifesta o seu mais profundo repúdio ao episódio de homofobia ocorrido no sábado, dia 21 de agosto, no drive de vacinação Albano Franco. Na ocasião, uma mulher teria usado de termo pejorativo e homofóbico ao se referir a um profissional de saúde e se opôs que o mesmo vacinasse sua filha adolescente. Ela deixou o local sem que a filha recebesse o atendimento. O caso, inclusive, foi noticiado pela imprensa local com base no relato do profissional em sua rede social. A Sesau lamenta esse tipo de situação e reforça que dará todo o suporte necessário ao profissional”, declarou o órgão em nota.

Publicidade

Foto: Reprodução/Arquivo Pessoal


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.