Futuro

Liverpool perde título de patrimônio mundial da Unesco por causa de prédios modernos

Vitor Paiva - 02/08/2021

Liverpool é conhecida pelos clubes de futebol e principalmente por ser onde nasceu a maior banda de todos os tempos. Mas, para além dos Beatles e do Everton ou do Liverpool Football Club, a cidade no noroeste da Inglaterra é também famosa por seus edifícios históricos – ou assim era, já que a UNESCO decidiu rebaixar a classificação da cidade como Patrimônio Mundial por conta de alterações urbanísticas e construções modernas que descaracterizaram principalmente sua área portuária.

Os prédios antigos e os icônicos armazéns misturados aos prédios modernos nas docas de Liverpool

Os prédios antigos e os icônicos armazéns misturados aos prédios modernos nas docas de Liverpool © Getty Images

-UNESCO alerta que Stonehenge está em perigo com construção de novo túnel

Segundo a decisão tomada durante a 44ª reunião anual do Comitê de Patrimônio Mundial, realizada na China em julho de 2021, a aprovação da construção de um novo estádio para o Everton FC, foi a pá de cal da manutenção do estilo vitoriano da arquitetura da orla portuária da cidade, à beira do rio Mersey. Liverpool estava na lista como Patrimônio Mundial desde 2004, mas desde 2012, por conta da descaracterização urbana de seu cenário arquitetônico, passou a constar na lista de patrimônio ameaçados.

O projeto do futuro estádio do Everton na região

O projeto do futuro estádio do Everton na região © Everton/divulgação

-5 motivos pelos quais Paraty merece o título de Patrimônio Mundial da Unesco

O novo estádio será construído a cerca de 2 km do porto, também à beira do tradicional rio que banha a cidade, e o caso de Liverpool é somente a terceira vez que um Patrimônio foi rebaixado pela UNESCO – antes, a cidade de Dresden e o Santuário do Órix-da-arábia, em Omã, também perderam a classificação. As construções modernas que “invadem” a arquitetura da área histórica da cidade expõem claramente o dilema entre a proteção dos patrimônios e o estimulo econômico nas grandes cidades – e por isso a decisão da UNESCO foi questionada pelas autoridades locais.

Alguns dos prédios construídos na zona portuária de Liverpool no século XIX

Alguns dos prédios construídos na zona portuária da cidade no século XIX © Getty Images

-Yoga é eleito pela Unesco um dos Patrimônios Imateriais da Humanidade

Segundo Joanne Anderson, atual prefeita da cidade, a “incompreensível” decisão da UNESCO não leva em consideração o fato de que a orla portuária de Liverpool “nunca esteve em melhores condições e se beneficiou dos milhões de libras investidos” – além dos empregos gerados pelas construções, a administração lembra que o estádio trará turismo e, assim, aquecimento econômico para a cidade. Outros prédios modernos na região das docas, porém, em contraponto aos icônicos armazéns avermelhados levantados em tijolo e ferro que tanto marcam os traços arquitetônicos da região, causam divergência entre a população.

O porto de Liverpool visto de longe, do outro lado do rio Mersey

O porto de Liverpool visto de longe, do outro lado do rio Mersey © Wikimedia Commons

Prédios em Liverpool

A prefeitura alega que os prédios modernos aquecem a economia e dão empregos © Getty Images

-Conselho internacional elege Rio como primeira capital mundial da arquitetura

O novo estádio do Everton será inaugurado na orla portuária de Liverpool em 2024.

Os mais reconhecíveis edifícios antigos de Liverpool, com a icônica catedral ao fundo

Os mais reconhecíveis edifícios antigos de Liverpool, com a icônica catedral ao fundo © Getty Images

Publicidade

© fotos: créditos


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, Vitor Paiva é doutor em Literatura, Cultura e Contemporaneidade pela PUC-Rio. Autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores, publica artigos, ensaios e reportagens.