Inspiração

Mãe de bebê que nasceu com 3º braço e metade do coração briga por cirurgia

Yuri Ferreira - 16/08/2021

Michelle Aparecida Fondos, de 38 anos, luta pela sobrevivência de seu filho César. O recém nascido nasceu com diversos problemas de saúde: ele tem hipoplasia no coração (apenas metade do órgão funciona), nasceu com um terceiro braço e possui diversas outras malformações em seu corpo.

Michele e Cesar; mãe luta para conseguir cirurgia de alto risco para seu bebê

A mãe, moradora do município de Praia Grande, na baixada santista, em São Paulo, luta pelo direito de conseguir uma cirurgia para seu filho no Sistema Único de Saúde. Cesinha, como é chamado o bebê, precisa retirar o terceiro braço para que isso não atrapalhe ainda mais sua formação. Ela já contratou planos de saúde, mais o período de carência de dois anos impede a urgência da cirurgia. “Disseram que podemos esperar a carência. Estou tentando pelo SUS, mas está difícil”, disse Michelle ao G1.

– Mãe dá à luz a bebê de 6 kg com saúde perfeita e vira sensação na internet 

O bebê foi incluído Central de Regulação de Ofertas de Serviços de Saúde (Cross) de Santos e recebeu uma consulta, mas ainda não foi certificado de que o procedimento será realizado. Uma cirurgia na rede particular sem plano de saúde custaria pelo menos R$ 182 mil.

César fez um ano de idade recentemente, ao contrário do que foi apontado pelos médicos. Mas Michelle não está confiante. “A gente não tem o que comemorar […]. Quando a gente conseguir a cirurgia do bracinho, a gente comemora. Quando ele sair e ele sobreviver, aí a gente comemora”, desabafa a mãe ao G1.

– 17 anos depois: o bebê que protagonizou a impactante imagem em que segurava a mão do médico de dentro do útero 

Segundo os médicos, é provável que a má-formação dos órgãos de Cesinha seja causada por um irmão siamês. Os médicos suspeitam que o bebê acabou ‘vencendo’ uma luta contra seu irmão siamês, mas que alguns órgãos do outro feto ficaram ligados ao seu corpo. Entre os 4 e os 6 anos de idade, ele terá de passar por uma cirurgia para reparar os danos da Síndrome da Hipoplasia do Coração Esquerdo, que faz com que apenas metade do coração da criança esteja funcionando.

Publicidade

Fotos: Reprodução/Facebook


Yuri Ferreira
Jornalista formado na Escola de Jornalismo da Énois. Já publicou em veículos como The Guardian, UOL, The Intercept, VICE, Carta e hoje escreve aqui no Hypeness.