Futuro

Medalha de ouro em Olimpíada Internacional de Física é de brasileiro de 17 anos

Gabryella Garcia - 04/08/2021 | Atualizada em - 06/08/2021

Caio Augusto Siqueira, de apenas 17 anos e morador de Ribeirão Preto, no interior de São Paulo, entrou para a história da comunidade científica internacional. Em uma disputa com 380 estudantes de 76 diferentes países, o jovem brasileiro conquistou a medalha de ouro na Olimpíada Internacional de Física (IPhO).

A Olimpíada é considera uma das principais e mais importantes competições estudantis científicas do mundo e o brasileiro foi o único a obter a premiação máxima. De quebra, Caio também atingiu a maior nota em participações do Brasil em toda a história do evento, que é realizado há mais de 50 anos.

Olimpíada Internacional de Física, ouro

Depois de conquistar mais de 15 medalhas, Caio agora pretende estudar em uma universidade estrangeira

Em entrevista ao portal G1, o jovem que se preparou por dois anos e chegou a estudar 16 horas por dia afirmou que o plano agora é conseguir uma vaga para estudar em uma universidade estrangeira. Ele também destacou que sempre que está estudando física, na verdade está se divertindo.

Caio representou o Brasil na competição ao lado de outros quatro estudantes brasileiros e, com notas que variam de 0 a 50, atingiu o score de 37,10. Qualquer aluno que atingisse uma nota superior a 33,32 levaria a medalha de ouro, mas o brasileiro foi o único. Essa foi a terceira vez na história que o Brasil conquistou a medalha de ouro.

Olimpíada Internacional de Física

A competição é realizada desde o ano de 1967 e, a 51ª edição, vencida pelo brasileiro, teve a cidade de Vilnius, na Lituânia, como organizadora. Por causa da pandemia da Covid-19 o evento foi realizado de forma online entre os dias 17 e 24 de julho.

Estudantes do Ceará conquistam 1º e 2º lugar em prêmio de soluções tecnológicas

Cada país que participa da competição pode ser representado por até cinco estudantes que são submetidos a dois dias de provas monitoradas por câmeras. Uma das provas é teórica, com questões de física quântica, ótica e eletromagnetismo e a outra é experimental, onde os competidores trabalham com circuitos elétricos capacitores.

Para fazer parte da equipe brasileira, Caio disputou com cerca de outros 200 estudantes uma das cinco vagas brasileiras na Olimpíada Internacional. Após ganhar o direito de representar o país, realizou as provas nos dias 19 e 21 de julho, em Campina Grande (PB), uma vez que estava impedido de viajar para a Lituânia por conta da pandemia.

Publicidade

Foto: Divulgação/ Colégio Objetivo


Gabryella Garcia
Gabryella Garcia é paulista, mulher trans, transfeminista e jornalista pela Unesp. Começou a carreira escrevendo horóscopos para o João Bidu e agora foca em escrever sobre direitos humanos e recortes de gênero. Já passou por veículos de São Paulo, Santa Catarina, Espírito Santo e também colaborou para veículos como Ponte Jornalismo, Congresso em Foco e Elle Brasil. Atualmente, além de produzir o podcast "Prosa", para o Hypeness, também colabora com o UOL. Além disso atua como voluntário no Projeto Transpor, um projeto que oferece consultoria profissional gratuita para pessoas transgêneros com montagem de um currículo assertivo, Linkedin e simulação de entrevistas de emprego.