Diversidade

Sérgio Camargo: denúncia por assédio moral e pedido de afastamento contra presidente da Palmares

Redação Hypeness - 30/08/2021

O presidente da Fundação Palmares, Sérgio Camargo, se tornou alvo de uma denúncia do Ministério Público do Trabalho. O chefe da instituição que tem como fim promover a cultura afro-brasileira está sendo denunciado por assédio moral, perseguição ideológica e discriminação.

Em um documento que contém o relato de 16 funcionários da Fundação Palmares, Camargo é acusado de ter contaminado “todo o ambiente de trabalho” e gerado “terror psicológico”.

– Madame Satã e Gil: a grandeza dos ‘excluídos’ da Fundação Palmares incomoda Sérgio Camargo. Quem liga?

Sérgio Camargo vira alvo de denúncia trabalhista por perseguição e assédio moral

Fundação Palmares

O Ministério Público do Trabalho exige que o chefe da Fundação Palmares seja afastado do cargo e pague R$ 200 mil em indenizações para os funcionários prejudicados.

– Monteiro Lobato tem obra relançada sem trechos racistas e bisneta é alvo do governo federal 

Segundo a denúncia, Camargo foi responsável por uma “caça aos esquerdistas” que resultou em demissões por discordâncias ideológicas e “humilhações”. Sérgio teria ordenado os funcionários a denunciarem colegas de trabalho por posicionamentos de esquerda, criando um clima de perseguição dentro do próprio ambiente profissional.

Através do seu Twitter, o denunciado reforçou sua posição e confirmou que instaurou uma perseguição contra funcionários da Fundação Palmares:

Sérgio Camargo é o pivô de diversos escândalos à frente da Fundação Palmares, como a exclusão de diversos livros do acervo da instituição. Ele já havia sido alvo de uma denúncia do Ministério Público do Trabalho (MPT) por conta de uma iniciativa que buscava criar um selo de ‘Não-racista‘ para obras que contivessem representações racistas, como os trabalhos de Monteiro Lobato.

A gestão de Sérgio Camargo à frente da Fundação Palmares é considerada por especialistas um retrocesso no combate ao racismo no Brasil. Camargo foi descrito recentemente por Martinho da Vila como um “preto de alma branca”, disse o sambista em entrevista ao “Roda Viva”. O presidente da Palmares ameaçou processar o cantor e escritor.

“A Fundação Palmares era uma fundação criada para tratar dos assuntos da cultura negra, do negro no geral. Botaram aquele cara lá, o Camargo, bolsonarista radical. Ele é um preto de alma branca, como se diz. No duro, ele gostaria de ser branco. Ele acha que ele é branco. Ele se sente branco. E ‘tem que acabar com essas coisas todas de preto'”.

Publicidade

Fotos: Presidência da República/Reprodução


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.