Sustentabilidade

Sibéria: Yakutsk, cidade mais fria do mundo, arde em chamas e declara emergência

Redação Hypeness - 20/08/2021

A região da Lacútia (ou república de Xaka), na Rússia, está sofrendo com nunca antes vistos incêndios florestais de grande proporção. O município de Yakutsk, conhecido como ‘a cidade mais fria do mundo’, foi tomado pela fumaça das florestas e a situação evidencia a mudança climática de forma absurda.

A cidade chega a registrar temperaturas de -60ºC  durante os períodos mais frios do ano. Agora, os incêndios que pareciam apenas se alastrar pela Europa Central e pelo Mediterrâneo parecem ter chegado de vez à Sibéria.

Cidade de Yakutsk trocou o gelo congelante para a fumaça sufocante das queimadas na Sibéria

O governo russo, considerado um dos menos compromissados com a redução práticas danosas ao meio-ambiente, agora começa a sentir os efeitos da mudança climática.

-Como os incêndios na Amazônia estão derretendo geleiras nos Andes

Em 2003, Vladimir Putin se negou a assinar o protocolo de Kyoto. “Talvez a mudança climática nem seja tão ruim em um país frio como o nosso. 2 ou 3 graus a mais na temperatura média não mudariam nada! Quer dizer, gastaríamos menos em casacos de pele e nossas plantações cresceriam melhor”, disse, à época, segundo o Moscow Times.

Desde então, o governo mudou diversas vezes de opinião sobre práticas econômicas sustentáveis. Nos últimos anos, Putin tem cedido à pressão e reconhecido que os combustíveis fósseis são um grande problema para o meio-ambiente. Mas faz pouquíssimo tempo.

– O inusitado espetáculo das ondas congeladas causado pelo frio rigoroso nos EUA e Canadá

Agora, o governo federal sente a dor dos incêndios na Iacútia, tendo de emitir verbas para financiar o estado de emergência encontrado na região.

Incêndios ocorrem nas regiões mais ao sul da república autônoma, mas nesse ano eles chegaram de forma mais intensa e em locais mais populosos como a cidade de Yakutsk.

“Por muitos anos, a propaganda do governo russo era de que a crise climática era uma ficção e, se não fosse uma ficção, beneficiaria a Rússia, porque o país se tornaria mais quente e agradável. Agora, o governo está percebendo que é necessário mudar”, afirma o ativista do Greenpeace Russo, Alexey Yaroshenko, ao The Guardian.

Bombeiros russos trabalham para apagar incêndios na Sibéria

Como o problema nunca foi grave, o governo russo também pouco se preocupou com a manutenção das florestas, algo crucial para reduzir os impactos de incêndios a médio e longo prazo.

As florestas de Tundra, comuns na Rússia, são facilmente suscetíveis ao fogo quando estão em períodos secos como o verão.

– Fumaça de queimadas gerou quase R$ 1 bi de gastos com internações para estados amazônicos

“Aos poucos, o povo vai começando a entender que o clima está realmente mudando e que as consequências são absolutamente catastróficas. Mas a maioria das sociedades e dos políticos está longe de compreender o tamanho verdadeiro desse problema”, completou Yaroshenko.

Yakutsk, a cidade mais fria do mundo

Yakutsk é a capital da Iacútia ou Lacútia, uma das regiões habitadas mais frias do mundo. A cidade é considerada a região urbana mais gelada do planeta. E a fama é antiga: em 1892, o município marcou −64.4 °C em seus termômetros.

A cidade não é o local mais frio de toda a Rússia, perdendo para Oymyakon, também na Iacútia. O local é considerado o mais frio permanentemente habitado por cerca de 500 pessoas. Por lá, as temperaturas já batem -67ºC.

Yakutsk é a região urbana mais fria do planeta; temperaturas no verão têm aumentado no local e eventos extremos chegam para mudar a paisagem do frio siberiano

Veja vídeos de Yakutsk:

Pois é, a mudança climática está aí. Até os lugares mais frios do planeta já sofrem com o aumento de temperaturas. Mas, por algum motivo, tem gente que quer negar.

Publicidade

Fotos: © Getty Images


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.