Futuro

Síndrome de boreout afeta saúde mental por tédio no trabalho

Redação Hypeness - 02/08/2021 | Atualizada em - 04/08/2021

Enquanto muitas pessoas estão sofrendo com a sobrecarga de trabalho, demandas e pressão, o chamado burnout, existem outras se sentindo insatisfeitas, subaproveitadas e com falta de demandas. Essa pressão inversa ganhou o nome de Síndrome de boreout e pensadores mostram como esse nível de tédio extremo pode também prejudicar a saúde mental.

Este sentimento de desmotivação permanente foi reconhecido por diferentes especialistas e tornou-se um fato constante nas novas gerações.

Síndrome de boreout afeta saúde mental por tédio no trabalho

Síndrome de boreout afeta saúde mental por tédio no trabalho

Durante os anos 70, Herbert Freudenberger já usava o termo Burnout em conexão com equipe sobrecarregada em um jornal relacionado à psicologia – e agora, quase 50 anos depois, todo mundo teve ou conhece alguém que sofria da tal síndrome, torna-a o transtorno psicológico mais comum relacionado ao trabalho.

Nos últimos anos, porém, este novo distúrbio psicológico entediado se espalhou pelo mundo do trabalho.

Além disso, de acordo com uma pesquisa realizada no México pela plataforma de busca de empregos OCC Mundial, 75% dos 700 trabalhadores disseram não estar satisfeitos com sua situação de emprego e 87% mantinham uma busca permanente por meio das bolsas de trabalho online.

tédio extremo pode também prejudicar a saúde mental.

Tédio extremo pode também prejudicar a saúde mental

Por trás desse panorama esconde-se uma profunda ansiedade e um sentimento de desvalorização, explica ao Entrepreneur Camilo Arbeláez, CEO e diretor de Psicoterapeutas da plataforma Enterapia, que, há algum tempo, está no México prestando serviços de psicoterapia online.

“A síndrome de Boreout é um distúrbio psicológico causado principalmente por uma baixa carga mental no ambiente de trabalho, devido à falta de uma demanda de trabalho quantitativa ou qualitativa adequada. Isso, por sua vez, gera tédio no curto e médio prazo por parte das novas gerações, que questionam o desequilíbrio entre as expectativas que tinham do seu trabalho e o seu real esforço”, destaca Arbeláez.

Pode parecer que um trabalhador entediado poderia aproveitar a oportunidade de ter poucas tarefas para realizá-las da melhor maneira possível, mas indivíduos entediados, na verdade, têm pior desempenho no trabalho e cometem mais erros. E, claro, para evitar o envolvimento com a fonte de seu tédio, tendem a faltar mais.

Obviamente, o aborrecimento é algo que queremos evitar, tanto como funcionários quanto como empregadores. Em “Diagnose Boreout”, o livro que primeiro descreveu a síndrome, os consultores de negócios suíços Peter Werdner e Philippe Rothin estabeleceram métodos para evitar a doença.

Os empregadores poderiam fazer um esforço para distribuir tarefas desafiadoras e não repetitivas para seus funcionários. Eles também poderiam garantir que seus funcionários possam conversar com eles sobre a necessidade de uma nova tarefa ou função, sem medo de serem demitidos.

Em última análise, no entanto, a responsabilidade de encerrar o aborrecimento recai sobre o funcionário – ele deve encontrar uma maneira de tornar seu trabalho significativo ou, caso contrário, encontrar um novo trabalho que tenha uma chance melhor de mantê-lo satisfeito.

Freqüentemente, o risco e a potencial perda de renda evitam que funcionários insatisfeitos mudem de emprego. Mas é importante lembrar que não mudar de emprego quando você está entediado não evita nenhum custo; apenas transforma um custo financeiro em um custo para sua saúde física e mental.

Claro que ter momentos de ócio e preguiça são bons para nossa mente. O problema é quando a falta de atividades é regra para um funcionário. Se sentir subaproveitado ou subaproveitando seu tempo gera uma baixa de energia e daí o boreout. O primeiro passo é identificar o problema, refletir e levar essa conversa adiante.

Publicidade

Getty Images


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.