Sustentabilidade

Tipos de vegetarianos: quais são os nomes e as principais diferenças

Redação Hypeness - 23/08/2021

O vegetarianismo é uma prática alimentar adotada por mais de 375 milhões de pessoas em todo o planeta. O que todos os tipos de vegetarianos têm em comum é o fato de que não consomem carne, é claro. Mas entre eles, há sérias disputas e discussões sobre qual seria a forma de se alimentar mais saudável ou mais ecologicamente consciente a partir dessa dieta que é também uma visão de mundo.

tipo de vegetarianos

Vegetarianismo pode ser opção alimentar ou luta política; diferentes tipos de vegetarianos enxergam em seu prato um significado diferente para a comida.

Entre veganos, ovolactovegetarianos, vegetarianos estritos e outros tipos de vegetarianismo, há uma série de debates que envolve saúde, economia, ética e até religião. Iremos explicar nesse texto, por exemplo, a diferença entre vegetarianismo e veganismo e outras questões que circundam essas diversas escolhas alimentares.

Agora, veja a nossa seleção com esses 5 tipos de vegetarianos:

1. Veganismo – definição

O veganismo é o mais singular dos tipos de vegetarianismos discutidos nesse texto. Isso porque ser vegano não é somente não comer nenhum produto de origem animal, mas também não consumir outros bens de consumo que tenham crueldade animal envolvida.

Veganismo se enxerga como um movimento política que luta contra o especismo; eles acreditam que os seres humanos não deveriam explorar animais de forma alguma para sua subsistência

O veganismo está muito mais próximo da definição de ativismo do que de dieta. Quem é vegano segue uma alimentação rígida, sem derivados de leite e ovos, mas também não consome produtos como cosméticos, roupas, sapatos, produtos de limpeza, por exemplo.

Quem adere a essa filosofia política luta contra a crueldade animal e contra o conceito de ‘especismo’, a ideia de que o ser humano oprime outras espécies para seu benefício sem necessidade. O veganismo enxerga que a interrupção do consumo de carne e da exploração animal seria o melhor escape para a questão climática. E há muitos motivos para acreditar nisso.

– Veganos são mais felizes que carnívoros de acordo com esta pesquisa 

Um dos principais pensadores do veganismo, em especial dentro da comunidade negra dos EUA, foi o comediante Dick Gregory. “A filosofia da não-violência, que me foi ensinado por Martin Luther King durante meu envolvimento no movimento pelos direitos civis foi a principal responsável pela minha mudança alimentar. Sob a liderança do Doutor King, eu me tornei completamente comprometido com a ideia de não-violência e, portanto, era contra qualquer morte. Eu entendi que ‘Não matarás’, da Bíblia, se aplicava aos seres humanos se relacionando entre si – guerras, linchamentos, mortes e coisas similares -, mas a prática de matar animais por comida ou esporte também deveria ser condenada. A violência causa a mesma dor, o mesmo derramamento de sangue, a mesma ferida da morte, e a mesma arrogância cruel e brutal de quem acha que possui o direito de tirar a vida do outro”, afirma.

2. Ovolactovegetarianismo – definição

O ovolactovegetarianismo é o tipo de vegetarianismo mais comum e adotado pela maioria das pessoas no ocidente. Basicamente, quem adota o ovolactovegeterianismo apenas para de comer qualquer tipo de carne, mas continua consumindo outros produtos derivados de animais, como leite e ovos.

Ao contrário do veganismo, esse tipo de vegetariano pode decidir adotar essa dieta por motivos diversos: seja por questões ecológicas, seja por questões políticas ou ainda de saúde, o ovolactovegetarianismo é a forma mais ampla dessa prática alimentar

O ovolactovegetarianismo é, comumente, o primeiro passo de qualquer vegetarianismo. Isso porque é o menos restritivo: você ainda pode consumir manteiga, iogurte, mel, bolos e tortas que possuem derivados desses produtos, além de adquirir produtos que foram testados em animais.

O vegetarianismo mais comum era a principal tendência dessa forma alimentar e se mantém popular, mas o veganismo cresce mais do que o ovolactovegetarianismo desde os anos 2000.

Veja também: Bíblia pode ter defendido o vegetarianismo; entenda teoria polêmica 

“Não acredito que nenhum tipo de carne seja necessária para a nossa vida em nenhum estágio ou em qualquer clima do planeta.  Eu acredito que o consumo de carne é inapropriado para a nossa espécie. Erramos ao copiar os outros animais. A experiência mostra que os alimentos de carne são inapropriados para aqueles que entendem suas paixões”, afirmava Mahatma Gandhi.

3. Vegetarianismo estrito – definição

O vegetarianismo estrito é uma forma de veganismo restrita a dietas. Basicamente, esse tipo de vegetariano abandonou todas as formas de consumo de derivados de animais, mas não estende essa prática para todas as suas outras formas de consumo ou pensamento de vida.

Leia também: 19 boas opções de pratos veganos, vegetarianos e plant based por delivey

Vegetarianismo estrito é um termo que separa os veganos que adotam essa forma de vida para todos os âmbitos de consumo e as pessoas que não consomem derivados da exploração animal em nenhum âmbito

Geralmente, o vegetarianismo estrito é visto como uma forma de estágio para o inicio de uma filosofia de vida vegana, mas que requer suas adaptações.

4. Lactovegetarianismo – definição

O lactovegetarianismo é um tipo de vegetarianismo que inclui derivados de leite na alimentação, mas que exclui os ovos do cardápio.

Lactovegetarianismo é pouco praticado no Ocidente; essa dieta é comum na Índia também por fins religiosos e é adotada pelos brâmanes, sacerdotes do hinduísmo.

Essa forma de vegetarianismo é a predominante na Índia. Por lá, o ovo é visto como um tipo de carne e, portanto, está excluído da alimentação vegetariana. Mas, ao contrário do que diz o senso comum, a maior parte da população indiana consome carne: o índice de pessoas que adotam o vegetarianismo na Índia pode estar entre 20% e 42%.

– Estado indiano ganha prêmio da ONU por sistema 100% orgânico 

5. Crudívoros – definição

O crudivorismo ou crudiveganismo é uma forma de alimentação que consiste no consumo de alimentos crus e que não passaram por uma temperatura maior do que os 40º C. Basicamente, alimentos cozidos, fritos e ultraprocessados estão fora do cardápio. Conservas frias e outras formas de alteração da consistência podem ser adotados, mas geralmente a base é pela comida absolutamente crua.

Alimentação crudívora abole os vegetais refogados, cozidos ou assados, e prega que a comida deve ser comida praticamente in natura

Existem crudívoros que comem carne, mas são grande minoria dentro do movimento, que pensa em uma forma de alimentação bastante conectada com as origens da humanidade.

Gostou das dietas vegetarianas e veganas? Elas podem ser um caminho para reduir o desperdício de alimentos e conservar o meio-ambiente. Certamente, são uma forma de colaborar com o planeta. Pense com carinho e adote a que lhe agradar mais.

Publicidade

Fotos: © Getty Images


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.